Busca

Vatican News
Relatórios recentes revelam que a população cristã na Líbano permaneceu estável nos últimos dois anos, e deverá aumentar de 38% para 40% nos próximos 19 anos. Relatórios recentes revelam que a população cristã na Líbano permaneceu estável nos últimos dois anos, e deverá aumentar de 38% para 40% nos próximos 19 anos. 

Coragem e perseverança aos libaneses, pede cardeal Nichols a São Charbel

O presidente da Conferência Episcopal inglesa e galesa (CBCEW) enviou uma carta ao Patriarca de Antioquia dos Maronitas, expressando sua proximidade e dos católicos britânicos aos libaneses e pediu a intercessão de São Charbel, de quem tem uma relíquia em sua capela.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

A Igreja Católica britânica também está próxima em oração aos habitantes de Beirute e a todo o povo libanês, após a explosão que devastou o coração da cidade em 4 de agosto. É o que escreve o cardeal Vincent Nichols, presidente da Conferência Episcopal inglesa e galesa (CBCEW), em carta enviada ao Patriarca de Antioquia dos Maronitas, Cardeal Bechara Boutros Rai.

“Acompanhei com crescente horror a notícia da explosão no centro de sua amada Beirute”, escreve o purpurado. “É uma tragédia de proporções imensas para esta cidade e para todo o Líbano”. “Rezo com fervor por todos vocês e sei que muitas pessoas na comunidade católica da Inglaterra e do País de Gales também estão fazendo isso”, continua o cardeal Nichols, que volta então seu pensamento aos falecidos e seus familiares, aos feridos, mas também àqueles que ficaram sem teto e perderam tudo.

“Elevo minhas orações ao seu grande Santo, São Charbel, de quem tenho uma relíquia na minha capela, para que vocês possam ter a coragem e a perseverança para enfrentar este grande desafio”, conclui a carta do presidente dos bispos ingleses e galeses.

No Líbano, no entanto, onde o número de mortos subiu para 220 e cerca de 7.000 feridos, a tensão continua alta. Depois dos confrontos de rua que se seguiram à tragédia nos protestos contra a corrupção endêmica e grave incapacidade das autoridades libanesas, o primeiro-ministro Hassan Diab anunciou na televisão a renúncia do governo. A decisão, no entanto, não satisfez o movimento de protesto que pede a renúncia de todos os líderes políticos do país, que agora está em colapso.

No Angelus do último domingo, o Papa Francisco voltou a dirigir seu pensamento ao Líbano, expressando sua preocupação pela "frágil coexistência" entre os vários componentes religiosos do país e afirmando que a catástrofe "chama a todos, a começar pelos libaneses, a colaborar pelo bem comum”.

O Papa dirigiu-se em particular à Igreja no Líbano, convidando-a "a estar próxima de seu povo" e pedindo aos bispos, sacerdotes e religiosos para "viver a pobreza evangélica, sem luxos", porque "o povo sofre e sofre muito".

Chega ajuda da Alemanha

 

Nesta quarta-feira, 12, o ministro das Relações Exteriores alemão, Heiko Maas, chegou a Beirute para entregar a primeira "ajuda imediata" da Alemanha ao Líbano.

Ao chegar ao aeroporto da capital libanesa, o chefe da diplomacia de Angela Merkel entregou um primeiro cheque de 1 milhão de euros à Cruz Vermelha do País dos Cedros. O próprio Maas explicou que esta é a primeira parte de um "apoio imediato" de 20 milhões de euros de Berlim, destinado entre outras coisas às famílias mais afetadas pelo desastre. Além disso, estão planejados 3 milhões em ajudas às organizações das Nações Unidas. A bordo do avião que partiu de Berlim também materiais higiênicos e sanitários.

Voluntários

 

Mais de 300 jovens voluntários foram mobilizados para ajudar a limpar, cozinhar, distribuir alimentos e água e fazer pequenos consertos em casas e lojas, beneficiando assim cerca de 14 mil famílias.

Vatican News Service - LZ

Photogallery

Jovens voluntários se mobilizaram em Beirute
12 agosto 2020, 12:23