Busca

Vatican News
Agentes da Cruz Vermelha Uganfa medem a temperatura da população em Mpondwe, oeste do país Agentes da Cruz Vermelha Uganfa medem a temperatura da população em Mpondwe, oeste do país  (ANSA)

Ajudas da Caritas Uganda chegam a mais de um milhão de pessoas atingidas pela pandemia

1.230.000 é o número de pessoas necessitadas entre ugandenses, refugiados e requerentes de asilo, atendidas pela Caritas do país africano na forma de alimentos, equipamentos de proteção individual (EPI), materiais sanitários e dinheiro para pessoas com necessidades especial, como futuras mães e idosos.

Vatican News

Com um aporte que chega a US$ 400.000, a Caritas Uganda conseguiu ajudar mais de um milhão de pessoas afetadas pela pandemia de Covid-19 em sete dioceses católicas do país.

De acordo com um balanço apresentado no site da Conferência Episcopal de Uganda, desde que o governo determinou, em 21 de março, os chamados “Procedimentos Operacionais Padrão” (POP) para estabelecer restrições a reuniões públicas, a quarentena obrigatória, testes para casos suspeitos, proibição de transporte público e a estrita observância de higiene, as pessoas tiveram que enfrentar grandes desafios diante da grave situação econômica e social causada pela emergência em saúde.

Uma situação que para a Caritas Uganda tem sido uma oportunidade especial para contribuir com o esforço nacional para conter a propagação do vírus, proporcionar assistência social e uma vida significativa. Até agora, a resposta tem sido significativa, pois seus aportes atingiram mais de 1.230.000 pessoas necessitadas entre ugandenses, refugiados e requerentes de asilo.

O apoio da Caritas tem sido na forma de serviços domésticos, alimentos, equipamentos de proteção individual (EPI), materiais sanitários e dinheiro para pessoas com necessidades especial, como futuras mães e idosos, que foram canalizados pelas dioceses.

Na Arquidiocese de Gulu, a Caritas apoiou a força-tarefa distrital com combustível, campanhas de conscientização por meio de programas de rádio, fornecimento de materiais de higiene, detergentes, recipientes com água, bacias e desinfetantes e gerenciamento de casos para pessoas em quarentena.

A rede Caritas também apoiou o governo na capacitação de equipes de vigilância para rastrear possíveis surtos de contágio e na preparação de profissionais de saúde diante dos casos de óbitos. Da mesma forma, ofereceu 2 veículos com motoristas em tempo integral para vigilância, beneficiando assim um total de 200.000 pessoas.

Bancas no Mercado Nakasero, em Kampala, dispostas em respeito ao distanciamento social
Bancas no Mercado Nakasero, em Kampala, dispostas em respeito ao distanciamento social

A assistência foi estendida a 4.000 refugiados no acampamento de Pagirinya, onde a Caritas distribuiu materiais de higiene, que incluíam barras de sabão, locais para lavar as mãos, máscaras e desinfetantes para as mãos dos líderes dos refugiados e pessoas de recursos comunitários.

Em Kasana Luweero, Caritas beneficiou mais de 7.800 crianças em lares para órfãos e 25 centros de saúde receberam equipamentos de proteção e capacitação para 50 profissionais de saúde que chegam a cerca de 500 povoados com informações preventivas.

Além disso, por meio da Organização de Desenvolvimento da Diocese de Masaka, foram adquiridas e distribuídas instalações para lavar as mãos, sabão e alimentos para os ilhéus afetados pelo confinamento, além de fornecer transporte para as gestantes acessarem os cuidados maternos, chegando a um total de 3.245 pessoas beneficiadas.

A Caritas Kampala distribuiu materiais de saúde e máscaras para 69 paróquias, incluindo lares para crianças e jovens, ajudando pelo menos 196.712 pessoas; a Caritas Nebbi apoiou um total de 5.115 pessoas nos distritos de Zombo e Packwach; já a Caritas Tororo ajudou mais de 6.411 pessoas, com a capacitação de pessoal, fornecimento de equipamentos para lavar as mãos e promoção e conscientização por meio da rádio.

Caritas Fort Portal, que abrange os distritos onde a agricultura é a principal atividade econômica, garantiu que os agricultores recebessem materiais de conscientização e de higiene para pelo menos 5800 pessoas; Caritas Hoima, que opera em uma área identificada como um dos pontos mais afetadas pela Covid-19, realizou um trabalho de conscientização por meio de agentes de saúde da aldeia e do rádio, atingindo cerca de 8.000 pessoas; e Caritas Kasese, que trabalha nos distritos fronteiriços de Uganda com a República Democrática do Congo, também se concentrou na conscientização da população pela rádio e materiais de informação, para garantir que a comunidade compreenda a gravidade da pandemia.

O escritório nacional (Caritas Uganda), que lançou um plano de resposta em três Dioceses  - Kasese, Nebbi e Gulu - juntamente com o Escritório Médico Católico de Uganda, entregou equipamento de proteção individual (EPI) às unidades de saúde nos distritos de alto risco, forneceu instalações de saneamento às casas e centros mais vulneráveis ​​e lançou uma campanha de conscientização em vários locais.

A Conferência Episcopal do Uganda, através de seu presidente, Dom Joseph Anthony Zziwa, agradeceu o trabalho da rede Caritas e, em particular, os benfeitores, pedindo um espírito de fraternidade contínuo, já que a pandemia de Covid-19 continua a impactar a vida das pessoas.

Vatican News Service - ATD

19 julho 2020, 07:58