Vatican News

Os santos e santas “ao pé da porta” que a COVID-19 levou

Depois de pouco mais de uma semana de internação hospitalar por causa da Covid-19, Edvânia Marinho faleceu no dia 02 de julho em João Pessoa. Tinha 50 anos, deixou uma multidão de filhos e uma belíssima obra com mais de 145 voluntários e 11 projetos sociais.

Pe. Bruno Franguelli Sj - Cidade do Vaticano

O Papa Francisco, constantemente, tem nos alertado a perceber os sinais concretos da presença da santidade de Deus entre nós através da caridade humilde e oculta de tantos irmãos e irmãs. Homens e mulheres que, a partir da sua fé, dedicam-se aos outros no escondimento e na simplicidade do dia-a-dia, fazendo no ordinário da vida coisas realmente extraordinárias.

Muitos foram os bispos, sacerdotes, religiosos e leigos que perderam suas vidas a causa do covid19. Homens e mulheres que nos deixaram seu exemplo de amor a Deus e dedicação ao Seu Reino. Talvez nem conheçamos seus nomes e rostos, mas suas boas obras, certamente continuam vivas e o exemplo de sua vida, uma inspiração para todos. Como bem disse o Papa Francisco: “Não pensemos apenas em quantos já estão beatificados ou canonizados. O Espírito Santo derrama a santidade, por toda a parte, no santo povo fiel de Deus” (Gaudete et exultate, 6).

Ganhamos uma intercessora

Diante de tantos nomes e rostos, encontramos o de Edvânia Marinho, leiga consagrada e fundadora da Comunidade Católica Casa da Paz Maria de Nazaré, na periferia de João Pessoa/PB. Mulher simples e de fé humilde, sentiu-se chamada a acolher mães abandonadas e adotar crianças órfãs. Com seu sorriso notável e fé gigante, colocou-se a serviço dos demais. Trabalhava constantemente para restaurar a fé e a dignidade das pessoas. Depois de pouco mais de uma semana de internação hospitalar a causa do covid19, faleceu no dia 02 de julho em João Pessoa. Tinha 50 anos, deixou uma multidão de filhos e uma belíssima obra com mais de 145 voluntários e 11 projetos sociais.

Dom Manoel Delson Pedreira,ofm, arcebispo da Arquidiocese da Paraíba, em mensagem de vídeo, lamentou a morte de Edivânia e afirmou: “o carinho, o amor e o afeto de Edvânia marcou a vida de tantas pessoas. Ela tornou-se um exemplo, um modelo de caridade, de generosidade. Agradecemos o dom da vida de Edivânia para a sua família, para a Casa da Paz e para a Arquidiocese da Paraíba”. E concluiu: “Temos a certeza que ganhamos uma intercessora junto de Deus e de Nossa Senhora de Nazaré”.

Pessoas como Edvânia Marinho, são sinais concretos que nos convidam a crer que Deus não nos abandona jamais. Estes são os “santos ao pé da porta”, que fazem do cotidiano de suas vidas, uma oportunidade para fazer o bem, principalmente aos que mais necessitam. E, nestes tempos difíceis, podemos trazer a memória as palavras de Santa Teresa Benedita da Cruz, recordada pelo Papa Francisco:

“Na noite mais escura, surgem os maiores profetas e os santos”. (Gaudete et exultate, 8).

04 julho 2020, 11:07