Busca

Vatican News
Uma figura como a irmã Ruth mostra o rosto misericordioso da Igreja Católica no Paquistão, que se dedica ao bem comum a serviço dos pobres e dos mais vulneráveis, sem distinção de etnia, religião, cultura e classe social. Uma figura como a irmã Ruth mostra o rosto misericordioso da Igreja Católica no Paquistão, que se dedica ao bem comum a serviço dos pobres e dos mais vulneráveis, sem distinção de etnia, religião, cultura e classe social.   (AFP or licensors)

Com vida dedicada a crianças com deficiência, morre de Covid-19 no Paquistão irmã Ruth Lewis

A religiosa contraiu o vírus no Centro de Acolhida para pessoas com deficiência mental onde exercia sua missão apostólica. Por seu serviço de caridade, altruísta e apaixonado pelas "crianças especiais", irmã Ruth Lewis já recebeu o prêmio "Orgulho de Karachi" em 18 de janeiro de 2014, e em 2018, o prêmio "Hakim Mohammad Saeed" do governador de Sindh pelo serviço social prestado à humanidade pobre e sofredora, sem qualquer discriminação.

Cidade do Vaticano

Ouça e compartilhe!

Realizou-se nesta terça-feira, 22, na Igreja Cristo Rei em Karachi, o funeral da irmã Ruth Lewis, de 74 anos, religiosa da Congregação das Missionárias Franciscanas de Cristo Rei (FMCK), falecida em função de complicações decorrentes da Covid-19.

Irmã Ruth Lewis continuou seu incansável serviço apostólico no Dar-ul-Sukun, o Centro de acolhida de pessoas com deficiência mental, mesmo depois que 21 crianças do Centro testaram positivo para Covid-19 no início de julho. Foi constatado que a religiosa também havia contraído o vírus em 8 de julho. Depois de ser internada no Hospital universitário Agha Khan, em Karachi, foi transferida para a UTI devido a complicações provocadas pelo vírus.

A administração do Centro Dar ul Sukun, onde a religiosa serviu por 51 anos, pediu aos fiéis para acompanharem a Missa transmitida pelas redes sociais, em conformidade com as medidas anti-Covid-19.

Padre Qaisar Feroz OFM Cap, secretário executivo da Comissão Episcopal para as Comunicações Sociais, que trabalhou com a irmã Ruth como seminarista por dois anos, falou à Agência Fides: “Testemunha autêntica do amor de Deus por cada pessoa e cada criatura, dedicou toda sua vida a serviço dessas crianças e sempre as tratou como uma mãe, fazendo-as sentir 'filhas amadas'. Olhava com os olhos do amor do Evangelho para essas crianças com deficiência, o que era visível em todos os momentos de sua vida. Sua morte é uma grande perda para a missão da Igreja e, sobretudo, para essas crianças que necessitam de cuidados especiais, a quem ela ajudou e acompanhou durante 51 anos de serviço apostólico. Foi uma das primeiras irmãs a unir-se à irmã Gertrude Lemmes, fundadora do Centro", recorda o sacerdote.

Uma figura como a irmã Ruth mostra o rosto misericordioso da Igreja Católica no Paquistão, que se dedica ao bem comum a serviço dos pobres e dos mais vulneráveis, sem distinção de etnia, religião, cultura e classe social.

De fato, a morte de irmã Lewis suscitou reações comovidas também entre as autoridades civis, que apreciavam sua dedicação e compromisso: “Perdemos outra heroína desconhecida para muitos, a irmã Ruth Lewis, que dedicou sua vida para servir crianças com deficiência mental no Centro Dar-ul-Sukun. Fará muita falta às pessoas de Karachi, e a população de todo o Paquistão aprenderá a conhecê-la. Peço ao presidente do Paquistão para homenageá-la, de maneira póstuma, por seus serviços prestados à humanidade", disse Bilawal Zardari, presidente da Província de Sindh.

Também Syed Murad Ali Shah, primeiro-ministro da Província de Sindh, expressou sua tristeza e condolências pela morte da irmã Ruth Lewis, dizendo: “É uma grande perda, sobretudo para pessoas com deficiências físicas e mentais. Prestou serviços extraordinários às crianças necessitadas de cuidados especiais na Província de Sindh."

O primeiro-ministro de Sindh, junto à sua direção do Partido Popular Paquistanês, assumiu os custos do tratamento médico da irmã Ruth Lewis e também hoje está encarregado da quarentena especial em Dar-ul-Sukun para crianças com deficiência afetadas pela Covid-19.

O governo de Sindh concedeu um subsídio de 25 milhões de rúpias paquistanesas (cerca de 130 mil euros) para prestar assistência e medicamentos aos 19 pacientes atualmente positivos para coronavírus que residem no Centro.

Por seu serviço de caridade, altruísta e apaixonado pelas "crianças especiais", a irmã Ruth Lewis recebeu o prêmio "Orgulho de Karachi" em 18 de janeiro de 2014, e em 2018, recebeu o prêmio "Hakim Mohammad Saeed" do governador de Sindh pelo serviço social prestado à humanidade pobre e sofredora, sem qualquer discriminação.

(AG/PA - Agência Fides)

22 julho 2020, 11:55