Busca

Vatican News
Missionários dedicaram sua vida aos mais pobres de Madagascar Missionários dedicaram sua vida aos mais pobres de Madagascar  (AFP or licensors)

Covid-19 interrompe serviço aos pobres de dois missionários italianos em Madagascar

Padre Albano Passarotto, religioso vicentino de 80 anos estava há 56 na ilha africana. Padre Luigi Piotto, orionita de 65 anos, estava há 28 como missionário.

Cidade do Vaticano

Ouça e compartilhe!

Também a Igreja Católica, em seu compromisso missionário em tantas partes do mundo, está pagando um alto preço devido à pandemia de Covid-19

Morreram nestes dias em Antananarivo, a poucos dias de distância um do outro, dois missionários italianos, que há décadas exerciam sua missão servindo a população do Madagascar. Trata-se do padre Albano Passarotto, falecido em 21 de julho, religioso vicentino de 80 anos, missionário há 56 em Madagascar, e do padre Luigi Piotto, da Obra de Dom Orione, de 65 anos, há 28 missionário na ilha africana, falecido em 23 de julho.

Ordenado sacerdote em 1965, o padre Albano Passarotto sempre cumpriu sua missão em Madagascar, dedicando-se especialmente às crianças mais pobres, criando escolas, orfanatos, centros de assistência e estruturas que garantissem educação e assistência à população e, em particular, às crianças. Atualmente, ele dirigia uma escola no sul da ilha que ele havia fundado para garantir a centenas de crianças a oportunidade de estudar, além de oferecer-lhes duas refeições por dia, uma vez que a maioria vem de famílias que vivem em acampadas em barracas.

Padre Luigi Piotto havia partido em 1992 para o Madagascar. Seus vinte e oito anos de vida missionária foram vividos em Antsofinondry, como pároco, diretor, encarregado da escola profissional. Ele sempre esteve a serviço dos pobres que tanto amava, segundo o estilo ensinado por Dom Orione. Por eles deu a vida, dedicada sobretudo à promoção da educação de crianças e jovens, garantindo-lhes um futuro digno.

De 2003 a 2010, foi Coordenador das Missões Orionitas em Madagascar e, desde a instituição da Delegação "Marie, Reine du Madagascar", foi nomeado diretor e ecônomo. (SL - Agência Fides)

27 julho 2020, 07:12