Busca

Vatican News
As Irmãs de Betânia servem, em particular, na educação de meninas, na emancipação das mulheres, no empenho de combater o tráfico de seres humanos As Irmãs de Betânia servem, em particular, na educação de meninas, na emancipação das mulheres, no empenho de combater o tráfico de seres humanos  (ANSA)

Nos 100 anos da Congregação, Irmãs de Betânia promovem construção de cem casas para pobres na Índia

Nos festejos de fundação da Congregação pelo Servo de Deus pelo Servo de Deus Dom Raymond Francis Camillus Mascarenhas (1875-1960), as religiosas também lançaram um novo serviço apostólico para combater o tráfico de pessoas e a migração não segura.

Cidade do Vaticano

Ouça e compartilhe!

A Congregação das Irmãs da Pequena Flor de Betânia (as chamadas "Irmãs de Betânia"), iniciou por ocasião da celebração do centenário da fundação do Instituto, um projeto de construção de casas para cem famílias pobres em toda a Índia, formando mil jovens para a liderança cristã.

O centenário da fundação da Congregação (1921-2021) teve início em 11 de julho com a celebração de uma Missa solene, oportunidade em que as irmãs renovaram seu compromisso e agradeceram ao Senhor pela história de Providência do Instituto. Por outro lado, as religiosas lançaram um novo serviço apostólico para combater o tráfico de pessoas e a migração não segura. O objetivo é alcançar as vítimas da pandemia de Covid-19, vulneráveis ​​a esses fenômenos.

A abertura das celebrações do centenário teve lugar na Casa Mãe das Irmãs de Betânia em Mangalore, Índia, na presença do bispo Peter Paul Saldanha, à frente da Diocese de Mangalore. A Superiora Geral da Ordem, irmã Rose Celine, declarou solenemente aberto o Ano do Centenário, levando "a vela do Jubileu", que simboliza 100 anos de vida e missão, e que acendeu cem lâmpadas colocadas no altar.

Dom Peter Paul Saldanha fez um agradecimento público, reconhecendo a preciosa contribuição das Irmãs de Betânia para a Igreja na Índia e para a sociedade, onde as religiosas realizam "um serviço apostólico fecundo, sobretudo em favor das mulheres, apreciado universalmente por católicos e não católicos".

Na Índia, a Congregação é abençoada com numerosas vocações e atualmente possui 1.381 irmãs que desenvolvem serviço apostólico em 61 dioceses indianas.

Presentes em 187 comunidades espalhadas em nove países ao redor do mundo, as religiosas hoje estão envolvidas em atividades de significativo caráter pastoral e social: em particular, na educação de meninas e jovens, na emancipação das mulheres, no empenho de combater o tráfico de seres humanos.

No Brasil, a Congregação está presente em Londrina, com o Centro de Educação Infantil Irmãs de Betânia.

A Congregação foi fundada em 16 de julho de 1921, festa de Nossa Senhora do Carmo, pelo Servo de Deus Dom Raymond Francis Camillus Mascarenhas (1875-1960), para responder às necessidades sociais da época, sobretudo com a intenção de educar os pobres das áreas rurais e contribuir para a promoção humana das mulheres.

(SD/PA - Agência Fides)

23 julho 2020, 12:18