Busca

Vatican News

Coronavírus. Bispos da Costa Rica chamam à responsabilidade civil

Até semanas atrás, o país era um exemplo global de gestão da emergência sanitária devido à rapidez e eficiência das medidas adotadas pelas autoridades para controlar a propagação do coronavírus. De uma taxa de contágios e mortalidade mais baixa no continente até meados de junho, se passou a um repentino aumento diário dos contágios elevando a um recorde com mais de 300 novos casos em 24 horas. Daí, o apelo dos bispos à responsabilidade civil

Vatican News

Ouça e compartilhe

Os bispos da Conferência Episcopal da Costa Rica fazem um chamado à tomada de consciência e ao cumprimento das normas sanitárias, após a avalanche de contágios da Covid-19 nos últimos dias, devido à “falta de conscientização e responsabilidade” por parte dos cidadãos.

Num comunicado, o episcopado alerta que “o número de contágios está aumentando exponencialmente” e os hospitais correm o risco de colapso diante do aumento da demanda por pacientes com síndromes graves da enfermidade.

“A vida é um dom de Deus do qual cada pessoa deve cuidar para si mesma e também para os outros. É algo do qual devemos prestar contas a Deus”, escrevem os bispos, insistindo que é uma séria responsabilidade moral, oriunda da fé, cuidar da própria saúde e da saúde dos irmãos.

Observar fielmente as disposições e medidas sanitárias

Para os prelados, observar fielmente as disposições e medidas sanitárias que as autoridades nos deram desde o início da crise é a única maneira de contrastar os efeitos da transmissão do vírus, que já é comunitária, não apenas na Costa Rica, mas em toda a América Latina.

“Até algumas semanas atrás, a Costa Rica era um exemplo global de gestão da emergência sanitária devido à rapidez e eficiência das medidas adotadas pelas autoridades para controlar a propagação do coronavírus.”

Daí, o agradecimento da Igreja costarriquenha às autoridades sanitárias por terem assumido a responsabilidade de cuidar e monitorar a saúde dos cidadãos: “Somos gratos por terem assumido claramente a prioridade de cuidar de nossa saúde, da vida dos habitantes de nosso país”.

Olhar para o futuro com esperança

Neste contexto, os bispos apelam mais uma vez à “prudência, à solidariedade para com os outros e à percepção do bem comum na necessidade de cuidar da saúde de todos os costarriquenhos”.

A mensagem da Conferência Episcopal da Costa Rica conclui-se com um convite a olhar para o futuro com esperança, fazendo o que é certo para todos e pede a intercessão de Nuestra Señora de los Ángeles, padroeira da Costa Rica.

O país centro-americano está passando por uma segunda onda pandêmica após a abertura, de forma controlada e diferenciada por distritos e cantões, de atividades econômicas, comerciais e sociais.

Situação na Costa Rica impõe alerta laranja para a capital

De uma taxa de contágios e mortalidade mais baixa no continente até meados de junho, se passou a um repentino aumento diário dos contágios elevando a um recorde com mais de 300 novos casos em 24 horas, especialmente na área metropolitana.

Devido a esta situação, as autoridades estabeleceram um alerta laranja para a capital San José e 11 cantões vizinhos, com uma restrição à circulação de veículos e à atividade comercial a partir das 19h até as 5h do dia seguinte, nos dias úteis.

Nos fins de semana, os veículos só podem circular de acordo com o número da placa e unicamente para ir ao supermercado, farmácias ou centros de saúde.

Vatican News – ATD/RL

08 julho 2020, 12:26