Busca

Vatican News
Chileno espera ser atendido em serviço de emergência em Santiago Chileno espera ser atendido em serviço de emergência em Santiago  (ANSA)

Prossegue no Chile campanha "Ninguém se salva sozinho"

A Pastoral Social da Caritas da Arquidiocese de La Serena, no Chile, leva em frente sua obra de solidariedade em benefício das pessoas que mais precisam. A situação se agravou nos últimos meses devido à pandemia social, econômica e sanitária que atinge também o Chile.

Vatican News

Outras 55 caixas de solidariedade contendo bens de primeira necessidade, incluindo alimentos não perecíveis e produtos de higiene pessoal diários, foram enviadas a migrantes e habitantes na área de ‘Pan de Azúcar’ em Coquimbo, Chile, e se somam àquelas já enviadas a várias comunidades em risco como parte da campanha "Ninguém se salva sozinho" que a Caritas Chile organizou para a emergência do Coronavírus. A informação é do site da Conferência Episcopal do Chile, um país onde felizmente a menor taxa de infecção no último mês e meio foi registrada nesta semana.

A Pastoral Social da Caritas da Arquidiocese de La Serena continua, portanto, sua obra de solidariedade com as pessoas que mais precisam, uma situação que se agravou nos últimos meses devido à pandemia social, econômica e sanitária que estamos enfrentando .

Há alguns dias, as comunidades de São João Evangelista e São Marcelino Champagnat, ambas localizadas no setor de Las Compañías, em La Serena, juntamente com as paróquias São João Batista de Coquimbo e São José de Algarrobito, receberam um total de 150 caixas de solidariedade como resultado da campanha "Ninguém se salva sozinho".

"Há muitas famílias que têm necessidade de ajuda então, naturalmente, que somos agradecidos àqueles que contribuíram para que isso se tornasse realidade”, disse o padre Francisco Mesa, administrador paroquial da comunidade localizada no setor leste de Coquimbo.

Ao mesmo tempo Junior Daza, responsável pelo Escritório Arquidiocesano para a atenção aos migrantes, fez referência à assistência prestada a pessoas de outras latitudes devido às inúmeras dificuldades que surgiram nas últimas semanas: "Muitos confrades que vieram de outros países em busca de uma oportunidade na vida, estão passando por um momento difícil devido à pandemia e ficaram sem fonte de emprego, outros perderam suas casas porque não podem pagar o aluguel e tiveram dificuldade em comprar comida. Essas caixas de solidariedade são uma maneira de estar presente e sentir que a Igreja está com eles na adversidade", afirmou.

Vatican News - RB

04 julho 2020, 07:21