Busca

Vatican News
Senhora idosa protegida por máscara em Kolkata, Índia Senhora idosa protegida por máscara em Kolkata, Índia  (ANSA)

Campanha Caritas Itália e FOCSIV em socorro aos mais pobres atingidos pela pandemia

A Caritas Italiana e a Focsiv relatam que 55% da população mundial vive hoje sem proteção social. Há quem não tenha acesso à comida ou a um trabalho digno, quem não goza do direito à saúde ou se vê privado de qualquer tipo de proteção. É o que acontece na América Latina, na Índia, em alguns países da Ásia, Oriente Médio, Balcãs, Europa Oriental e África.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Sete anos após a histórica visita do Papa Francisco a Lampedusa e às vésperas do Dia Internacional do Mediterrâneo, a Caritas italiana e a Focsiv (Federação dos Organismos Cristãos – Serviço Internacional Voluntário) lançam a campanha "Dai-nos o pão nosso de cada dia", para não esquecer quem ficou para trás e apoiar projetos concretos de ajuda.

O objetivo é sensibilizar as comunidades cristãs e toda a opinião pública sobre temas da fome, da pobreza, do trabalho, da educação, das desigualdades, também com base em aprofundamentos que serão propostos mensalmente no site www.insiemepergliultimi.it.

A campanha visa apoiar 62 iniciativas da Caritas e Focsiv na África, Oriente Médio, Ásia, América Central, América Latina, Europa Oriental e Balcãs com a parceria da Rádio Vaticano, Vatican News, L'Osservatore Romano, AgenSIR, Agenzia DIRE, Avvenire, Famiglia Cristiana, Federação Semanal Católica Italiana, TV2000, Radio INBlu e Banco Ético.

A iniciativa quer atender os pobres, excluídos e esquecidos, os mais atingidos pelas consequências da pandemia de Covid-19, que causou um aumento das desigualdades e uma drástica diminuição de recursos essenciais para a sobrevivência.

Em comunicado, a Caritas Italiana e a Focsiv relatam que 55% da população mundial vive hoje sem proteção social. Há quem não tenha acesso à comida ou a um trabalho digno, quem não goza do direito à saúde ou se vê privado de qualquer tipo de proteção. É o que acontece na América Latina, na Índia, em alguns países da Ásia, Oriente Médio, Balcãs, Europa Oriental e África.

O coronavírus, entre outras coisas, principalmente nas regiões mais pobres, está acelerando sua corrida e, na última semana, o número de vítimas e contágios é igual ao registrado nos últimos três meses. O Programa Mundial de Alimentos fala de uma catástrofe humanitária em escala global, de uma pandemia de fome e pobreza que tirará os direitos humanos básicos de mais de um bilhão de pessoas.

É nesse contexto que a Caritas Italiana e a Focsiv querem dar continuidade a seus projetos com a campanha "Dai-nos o pão nosso de cada dia", cujo primeiro foco é o tema da fome, consequência imediata das repercussões econômicas mundiais ligadas à pandemia.

De acordo com agências da ONU, o número de pessoas que em breve não terão o suficiente para alimentar-se poderá subir dos atuais 135 milhões para 250 milhões até dezembro de 2020.

Caritas Italiana e Focsiv, com sua presença há mais de uma década em mais de 90 países – chegando às faixas mais fracas e vulneráveis ​​das populações do mundo e comprometendo-se em intervenções corajosas de solidariedade, desenvolvimento humano e concreta esperança -  buscam agora novas ajudas. Eles querem restaurar a tantos homens, mulheres e crianças os próprios direitos fundamentais, a partir da comida, assistência médica, saúde, educação, trabalho, ações concretas que visam construir relações, diálogo, paz, justiça social, contribuindo para o desenvolvimento integral da humanidade, segundo indicado pelo Papa Francisco sua Encíclica Laudato Si'.

Vatican News - TC

08 julho 2020, 14:29