Busca

Vatican News

Bispos da América Central oram por vítimas da Covid e da tempestade Amanda

A Igreja da América Central expressa sua proximidade e solidariedade às famílias atingidas por estas tragédias. “Que o Senhor receba em seu Reino os falecidos e conceda conforto e alívio a seus entes queridos”, diz a nota que reconhece que os povos centro-americanos “diante da adversidade, encontram força e esperança em sua fé cristã”. Os bispos recordam as palavras de encorajamento do Papa Francisco e invocam para todos e para cada um a proteção de Deus

Vatican News

Ouça e compartilhe

“Os países da região centro-americana estamos passando por um momento extremamente difícil”, afirmam os bispos presidentes das seis conferências episcopais da América Central numa mensagem dirigida às comunidades católicas e fiéis dessas nações que, “além do flagelo da pandemia Covid-19 que continua ceifando vidas”, estão sofrendo a devastação da tempestade tropical Amanda que atingiu a Guatemala, El Salvador e Honduras no final de maio, deixando milhares de famílias desalojadas, cerca de 30 pessoas mortas e milhões de dólares em prejuízos.

Proximidade e solidariedade da Igreja centro-americana

Através da presidência do Secretariado Episcopal da América Central (SEDAC), presidida pelos bispos salvadorenhos dom José Luis Escobar Alas e do cardeal Gregorio Rosa Chávez, a Igreja da América Central expressa sua proximidade e solidariedade às famílias atingidas por estas tragédias.

“Que o Senhor receba em seu Reino os falecidos e conceda conforto e alívio a seus entes queridos”, diz a carta que reconhece que os povos centro-americanos “diante da adversidade, encontram força e esperança em sua fé cristã”.

Reconhecimento aos que estão no combate à Covid-19

O Secretariado Episcopal da América Central faz um reconhecimento especial àqueles que estão na linha de frente para defender a vida e a saúde das pessoas que sofrem com a Covid-19: médicos, enfermeiros e enfermeiras, bem como todo o pessoal da área da saúde e aqueles que colaboram com eles, alguns dos quais oferecem suas vidas neste abnegado e arriscado serviço.

“Eles, longe de qualquer estigmatização ou menosprezo, merecem o mais alto reconhecimento de todos por seu heroísmo”, lê-se na nota.

Nicarágua à beira de uma catástrofe humanitária

O istmo centro-americano está passando por uma dolorosa realidade com o agravamento da pandemia do coronavírus em várias nações, inclusive na Costa Rica, até então um exemplo de gestão da emergência sanitária.

Panamá, Guatemala e Honduras concentram o maior número de contágios na região, e uma situação grave está se verificando na Nicarágua, um país que sem ter tomado nenhuma medida, nem mesmo o isolamento, está se tornando o epicentro da epidemia na região e se encontra prestes a uma catástrofe humanitária devido ao colapso do sistema de saúde. 

Solidariedade do SEDAC para com a Igreja nicaraguense

Neste contexto, o Secretariado Episcopal da América Central, ao oferecer uma palavra que ilumine a fé e fortaleça a esperança na região, dirige-se em particular ao povo nicaraguense: “Solidarizamo-nos plenamente com a Igreja Católica na Nicarágua, por sua grande preocupação e ação generosa em favor da saúde e da vida do amado povo nicaraguense”.

Após recordar as palavras de encorajamento do Papa Francisco em vários momentos desta pandemia, os bispos do Secretariado Episcopal da América Central, inspirados pela palavra e pelo exemplo de São Oscar Romero, recomendados à sua intercessão, à de todos os mártires da América Central e à Santíssima Virgem, invocam para todos e para cada um a proteção de Deus.

Vatican News – ATD/RL

07 julho 2020, 11:53