Busca

Vatican News
Graças a um projeto, foi possível adquirir máscaras, luvas e desinfetantes e realizado um treinamento com noções de higienização e saneamento de ambientes e superfícies. Graças a um projeto, foi possível adquirir máscaras, luvas e desinfetantes e realizado um treinamento com noções de higienização e saneamento de ambientes e superfícies.  (ANSA)

Na Zâmbia religiosas engajadas na prevenção da Covid-19

"Nossa única mensagem dizia respeito à conscientização, ao compartilhamento de informações e ao conhecimento da Covid-19". Mas por meio da interação e do intercâmbio, se percebeu como as pessoas ignoravam o perigo da doença, enquanto outras pensavam não tratar-se de algo real, explica irmã Elizabeth Muleya.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Religiosas comprometidas na conscientização e prevenção do coronavírus na Zâmbia, em linha com um projeto desenvolvido pelas irmãs da Associação das Congregações religiosas femininas que trabalham, em particular, com a assistência na primeira infância.

A iniciativa, coordenada pelo Catholic Relief Services (CRS) e com o apoio da Conrad N. Hilton Foundation, tinha como objetivo primordial formar religiosas na prevenção e tratamento da Covid-19 em mulheres grávidas ou durante a amamentação.

"Nossa única mensagem dizia respeito à conscientização, ao compartilhamento de informações e ao conhecimento da Covid-19", explicou à Amecea Online a secretária geral da Associação, irmã Elizabeth Muleya.

 

A religiosa acrescentou que, por meio da interação e do intercâmbio, se percebeu como as pessoas ignoravam o perigo da doença, enquanto outras pensavam não tratar-se de algo real.

Graças ao projeto, também foi possível adquirir máscaras, luvas e desinfetantes e foi realizado um treinamento com noções de higienização e saneamento de ambientes e superfícies.

Diversas comunidades se engajaram na assistência. O maior desafio que as religiosas enfrentaram - destacou a irmã Muleya - foi se deparar com tantas pessoas que não tinham dinheiro para comprar máscaras, sabonetes ou desinfetantes para lavar as mãos.

Assim, não foi fácil para as irmãs explicar o quão necessário era observar as regras para evitar a propagação da epidemia.

"A distância social é difícil de ser observada, uma vez que as pessoas tradicionalmente costumam estar juntas”, prosseguiu a religiosa que, no entanto, destacou o sucesso do projeto.

A Associação das Congregações Religiosas femininas da Zâmbia está agora pensando em novos projetos sobre a Covid-19.

Até o momento, existem 1.200 casos de coronavírus e 10 mortes no país.

Vatican News - TC

10 junho 2020, 13:27