Busca

Vatican News
Card. Orani, arcebispo do Rio, no dia de Páscoa, ao renovar a consagração do Brasil ao Sagrado Coração de Jesus Card. Orani, arcebispo do Rio, no dia de Páscoa, ao renovar a consagração do Brasil ao Sagrado Coração de Jesus 

A bênção do Santíssimo: nas casas, nos bairros e do Cristo Redentor

Neste tempo de exceção, como lembra o arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Orani João Tempesta, “já celebramos de longe a Quaresma, a Semana Santa, a Páscoa e Pentecostes. Da mesma forma acontecerá com a Semana Eucarística”. Na quinta-feira (11), Solenidade de Corpus Christi, Dom Orani convida a colocar, na porta de casa ou na janela, “um sinal de que você é católico. Muitos padres passarão de carro com o Santíssimo, abençoando os bairros em torno de sua paróquia para que Jesus possa passar à frente e nos livrarmos dessa pandemia”. À noite, o Cristo Redentor vai exibir alguns tapetes decorados, “fazendo menção ao trabalho de nosso povo”.

Cardeal Orani João Tempesta - Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ)

Iniciamos no dia 04 de junho, a 94ª. Semana Eucarística em preparação para a Festa da Eucaristia num tempo de tantas necessidades eucarísticas. O tema deste ano é “Ele está no meio de nós” em que rezaremos a atualização do mistério da Eucaristia em nosso mundo tão conturbado, para perceber a importância da presença de Jesus Eucarístico mesmo permanecendo em nossas casas, encontrando com Jesus na Palavra que é proclamada, no irmão, na comunidade. Porém, na Eucaristia, de maneira especialíssima, Jesus está presente nas espécies eucarísticas, que alimenta nossa vida cristã e a nossa vida espiritual. É um tempo muito diferente em que vivemos na história, fonte e cume de nossa vida cristã. Neste tempo de exceção, em que a nossa presença nos templos acaba não acontecendo, já celebramos de longe a Quaresma, a Semana Santa, a Páscoa e Pentecostes. Da mesma forma acontecerá com a Semana Eucarística, de quinta-feira passada até o dia 10 de junho, véspera da Festa da Eucaristia, com as pastorais, movimentos e comunidades que, em vez de ir até a Igreja de Santana, Santuário de Adoração Perpétua, para fazer a sua Hora Santa, irão assistir pelos meios de comunicação. Vamos participar pelos meios de comunicação social que transmitirão a hora santa direto de nossa Capela N, Sra. da Conceição tendo um bispo como pregador. Vamos participar todos os dias, sempre às 20hs (no sábado tivemos um horário extra as 10:00 horas) temos a nossa Hora Santa de toda a nossa Arquidiocese, ligado à um bispo auxiliar com todo o seu vicariato e algumas pastorais que o Bispo acompanha. Na próxima quinta-feira, dia 11, celebraremos a Solenidade de Corpus Christi, ou seja, a festa do Corpo e Sangue de Cristo. Essa data é celebrada sessenta dias após a Quinta-feira Santa, data da instituição da Eucaristia. Por isso, ela sempre cai às quintas-feiras, dia por excelência dedicado à Eucaristia. Quando temos possibilidade litúrgica podemos, às quintas-feiras, celebrar a missa votiva da Santíssima Eucaristia.

Essa data nos ajuda a recordar que Cristo é o centro da Igreja, ele se entregou por amor na cruz e derramou o seu sangue para nos redimir. Em cada celebração da Missa, o padre repete as mesmas palavras de Cristo da última ceia. Não como uma mera representação teatral, mas tornando aquele momento como presente. O presbítero age na pessoa de Cristo e, no momento da consagração da Eucaristia, é o próprio Cristo que age na consagração do pão e do vinho em Corpo e Sangue de Cristo. O presbítero pede ao Pai para que envie o Espírito Santo, para que aquelas espécies sagradas do pão e do vinho se tornem o “Corpo e Sangue de Cristo”.

A festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV no dia 8 de setembro de 1264. A procissão de Corpus Christi lembra a caminhada do povo de Deus, peregrino, em busca da Terra Prometida. O Antigo Testamento diz que o povo peregrino foi alimentado com maná, no deserto. Com a instituição da Eucaristia, o povo é alimentado com o próprio Corpo de Cristo. Por isso, saímos às ruas e fazemos a procissão de Corpus Christi, tendo à frente o Santíssimo Sacramento, recordando a “arca da aliança”, que caminhava à frente do povo no deserto rumo à terra prometida, os abençoando e os livrando do perigo. E o povo apresentava as suas intenções e angústias, assim como acontece hoje; o Santíssimo Sacramento vai a nossa frente e apresentamos a ele nossas intenções. Neste ano receberemos a visita do Santíssimo Sacramento pelas ruas de nossa cidade que passara anunciando a Sua presença na vida do nosso povo.

Jesus se dá gratuitamente a nós nas espécies sagradas do pão e do vinho. A Eucaristia nos ensina a partilhar o pão com os outros, ou seja, aquele alimento espiritual que eu recebi na Igreja, ao acabar a Missa, eu sou convidado a partilhar o pão material com aquele que pouco ou nada tem. A tradição de levar alimentos na procissão de Corpus Christi em nossa Arquidiocese, neste ano terá que ser diferente: cada um leva em sua paróquia o alimento para os pobres, que aliás, tem sido uma bênção para muitas pessoas. Isso é ser Igreja, cumprir o mandato de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Ide pelo Mundo inteiro e a todos anunciai o Evangelho”, anunciar o amor e a partilha. Eu não posso viver o Evangelho somente na Igreja, mas fora dela eu devo ser sinal de Cristo.

No dia de Corpus Christi é dia de preceito, ou seja, devemos de alguma forma participar da celebração Eucarística, por isso, aqui no Brasil é feriado, para que um maior número de fiéis possa participar desse momento. Muitos lugares era costume enfeitar suas ruas, praças e Igrejas com o tapete de Corpus Christi, bem colorido e com temas voltado para a Igreja e Eucaristia. Ao final da Missa, o padre passa sob o tapete com o Santíssimo Sacramento e depois todo o povo vai atrás e acontece uma bela procissão, reverenciando e adorando Jesus na Eucaristia. E, sobretudo, agradecendo por Ele se dar em alimento gratuito para nós. Neste ano o Cristo Redentor, à noite, exibirá alguns desses tapetes fazendo menção ao trabalho de nosso povo. Mas tenho certeza que todos deveremos ser um belo espaço para que Cristo possa passar em nossas vidas.

De modo especial, pedir ao Santíssimo Sacramento nesse dia pela Igreja, pelo Papa, pelos bispos e por todo o clero, que nunca faltem ministros na Igreja para nos trazer a Eucaristia e que a Igreja possa continuar sendo sinal de Deus para o mundo. Rezar, também, pela conversão dos pecadores e que todas as pessoas possam encontrar em Jesus a paz, o amor e a misericórdia. E rezar para que não faltem pessoas dispostas a serem ministros extraordinários da Sagrada Comunhão e muitas vezes enfrentando grandes dificuldades para levar a Eucaristia.

Pedir sobretudo que tenhamos fé em Jesus e que acreditemos sempre que Ele se entregou por amor a nós de maneira incondicional na Cruz e que na última ceia instituiu a Eucaristia e que, por meio dela, podemos hoje sermos Igreja viva.

Neste ano, temos um pedido especial para fazer a Jesus Sacramentado: que possamos logo passar por essa pandemia da Covid-19, pedir que ele esteja próximo dos médicos, enfermeiros, administradores hospitalares e abençoe e cure os doentes. Estamos passando por um momento dificil, mas Jesus é a luz que venceu as trevas. O “Ostensório” aonde vai Jesus Sacramentado na procissão tem em sua forma parecida como um “sol”. Peçamos que esse “Sol” que é Jesus que ali estará nos guie e ilumine nesse momento que estamos atravessando, para que logo possamos encontrar a cura.

Como não podemos ainda ir à Igreja fisicamente neste ano, devido à pandemia, ou que são do grupo de risco ou porque a Igreja estará fechada, coloque na porta de sua casa ou na janela um sinal de que você é católico. Muitos padres passarão de carro com o santíssimo abençoando os bairros em torno de sua paróquia para que Jesus possa passar à frente e nos livrarmos dessa pandemia.

Pedir, sobretudo, que tenhamos fé em Jesus e que acreditemos sempre que ele se entregou por amor a nós de maneira incondicional na cruz. E que na última ceia instituiu a Eucaristia e que por meio dela podemos hoje ser Igreja viva. E não importa o lugar que estivermos, estaremos unidos na mesma fé.

Que Jesus nos abençoe e possamos com muita fé e devoção – mesmo nesse momento difícil em que estamos atravessando – celebrar com amor a Solenidade de Corpus Christi. Estejamos unidos em oração e que Jesus nos livre de todo o mal e que nunca falte a Eucaristia para nós. Amém!!!

Fonte: CNBB

09 junho 2020, 15:19