Busca

Vatican News
As Diretrizes serão aplicadas com rigor para criar ambientes saudáveis e seguros para garantir o cuidado e desenvolvimento, em especial, dos menores e dos mais vulneráveis As Diretrizes serão aplicadas com rigor para criar ambientes saudáveis e seguros para garantir o cuidado e desenvolvimento, em especial, dos menores e dos mais vulneráveis 

Costa Rica: Igreja publica Protocolo contra abusos

Em 1º de junho de 2020, cumpriu-se a data estabelecida pelo Papa Francisco para a entrada em vigor, em toda a Igreja Católica, dos mecanismos e processos, facilmente acessíveis ao público, para apresentar queixas ou denúncias comprovadas sobre situações de abuso contra pessoas menores de idade ou em estado de vulnerabilidade.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

A Comissão Nacional de Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis (CONAPROME) da Conferência Episcopal da Costa Rica publicou na segunda-feira, 01, para todas as dioceses do país, o Protocolo ou as Diretrizes para ação em casos de abuso sexual contra menores ou adultos vulneráveis ​​por clérigos, religiosos ou consagrados.

Com efeito, em 1º de junho de 2020, cumpriu-se a data estabelecida pelo Papa Francisco para a entrada em vigor em toda a Igreja Católica, dos mecanismos e processos, facilmente acessíveis ao público, para receber queixas ou denúncias comprovadas sobre situações de abuso contra pessoas menores de idade ou em estado de vulnerabilidade.

"É importante dar uma resposta imediata aos casos de denúncia que surgirem sobre esse assunto, sabendo que as vítimas são a prioridade, colocando em prática todos os procedimentos com absoluta transparência, tolerância zero e evitando qualquer tipo de manifestação de sigilo ou obscuridade no processo”, afirmou o presidente da Comissão, Dom José Manuel Garita, bispo de Ciudad Quesada, ao ser interpelado sobre a publicação deste documento.

Erradicar esse mal com determinação

 

"Os bispos da Costa Rica – lê-se na nota do episcopado - estão comprometidos com a erradicação desse mal que afeta todas as estruturas da sociedade, mas que, de maneira muito particular e determinada, deve ser corrigido e erradicado sem demora na Igreja".

Nesse sentido, Dom Garita comentou que a Comissão eclesial trabalhou arduamente nas Diretrizes que serão aplicadas com rigor para criar ambientes saudáveis ​​e seguros que garantam o cuidado e o desenvolvimento de todos os que participam da Igreja, em especial, os menores e os mais vulneráveis.

O comunicado do episcopado costarriquenho recorda que, em 7 de maio de 2019, com a promulgação da Carta Apostólica em forma de "Motu Proprio" Vos estis lux mundi ("Vós sois a luz do mundo"), o Papa Francisco quis oferecer à Igreja universal instrumentos que ajudem a erradicar, de maneira decisiva, da vida das comunidades eclesiais, o terrível flagelo que envolve todo tipo de abuso e, em particular, contra os menores e os mais indefesos.

Por esta razão, o CONAPROME publicou na data prevista, não apenas o Protocolo que contém as Diretrizes aprovadas pelos bispos da Conferência Episcopal da Costa Rica desde dezembro de 2019, mas também a lista das Comissões diocesanas que irão tratar destes casos e receber as denúncias, acompanhada com os respectivos números de telefone, e-mail e o nome dos membros de cada comissão diocesana a quem se dirigir em caso de reclamações ou dúvidas sobre os procedimentos.

Vatican News - ATD

02 junho 2020, 14:13