Busca

Vatican News
Os Bancos Alimentares procuram recolher produtos excedentes e redistribuir a associações de caridade Os Bancos Alimentares procuram recolher produtos excedentes e redistribuir a associações de caridade  (ANSA)

Hospital de Roma doa 500 refeições por mês ao Banco Alimentar da Itália

É a primeira vez que uma instituição sanitária doa produtos excedentes à seção do Lazio. O presidente regional do Banco Alimentar, Giuliano Visconti, espera que outras unidades do setor façam como a Fundação Santa Lúcia, de Roma, seguindo o exemplo para “se juntar a nós contra o desperdício de alimentos e ao lado dos mais fracos". A grave crise “que estamos passando torna a aliança entre o terceiro setor e o mundo dos negócios cada vez mais necessária".

Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe

O Banco Alimentar da Itália tem recebido todo mês, desde fevereiro deste ano, cerca de 500 refeições, fruto do excedente alimentar produzido pelo hospital da Fundação Santa Lúcia, de Roma, um Instituto de Internação e Cuidado em Caráter Científico (IRCCS), de excelência nacional no setor de neurociências, reabilitação e da pesquisa. A iniciativa é uma contribuição para a luta diária contra a pobreza e o desperdício de alimentos, já que o Banco Alimentar procura recolher produtos excedentes da produção agrícola e industrial e redistribuir a associações de caridade.

As refeições, excedentes alimentares produzidos pelo hospital, foram doados ao Banco Alimentar da Itália, da seção regional do Lazio, que entregaram àqueles que frequentam o refeitório da Basílica dos Santos Bonifácio e Alessio. Essa contribuição só foi possível porque as cozinhas do Santa Lúcia não fecharam durante o lockdown.

O presidente do Banco Alimentar da região do Lazio, Giuliano Visconti, disse que "a grave crise que estamos passando torna a aliança entre o terceiro setor e o mundo dos negócios cada vez mais necessária". Ele ressalta que essa é “uma pequena conquista" já que é a primeira vez que a instituição recebe excedentes alimentares oriundos de uma estrutura de saúde. O presidente espera que outras unidades do setor “possam seguir esse exemplo e se juntar a nós contra o desperdício de alimentos e ao lado dos mais fracos", em conformidade com os princípios da sustentabilidade ambiental.

L'Osservatore Romano

25 junho 2020, 16:16