Busca

Vatican News

Na pandemia Carmelitas Descalços oferecem café que sacia o coração

A Palavra de Deus cria uma saudável dependência, faz companhia, sacia o coração e torna tudo sereno". Palavras do Frei Lorenzo Galbiati, que idealizou o "Café Carmelita": uma reflexão sobre o Evangelho do dia, enviado pelo Whatsapp pelos Padres Carmelitas Descalços da Ligúria. Uma reflexão que une a Itália à República da África Central, com pedidos também de Camarões, Polônia e Albânia

Giada Aquilino – Vatican News

Um cafezinho, com a Palavra de Deus. É o que todas as manhãs, desde o início da pandemia, os Carmelitas descalços na Itália oferecem aos seus amigos. A iniciativa se chama "Café Carmelita": uma reflexão sobre o Evangelho do dia, enviada pelo Whatsapp a quem quer que o peça.  A Palavra de Deus "enche o coração e a vida, tem a capacidade de orientar a vida do dia a dia e as escolhas pequenas ou grandes", especialmente com a pandemia, explica ao Vatican News seu criador, Frei Lorenzo Galbiati, um Carmelita descalço do convento de Sant'Anna em Gênova. A equipe é formada por cerca de dez jovens frades como ele, em sua maioria da Província Carmelita da Ligúria e outras vizinhas, mas também os que trabalham no exterior, como o Frei Federico Trinchero: participa regularmente de Bangui, na África Central, uma das muitas missões que os mais de 4000 Carmelitas descalços têm no mundo.

O dia a dia

A ideia nasceu no início de março, conta o frei, com a mensagem de uma mãe que frequenta a igreja pedindo-me algo para rezar para ela e sua família durante o período que não tinha Missa. Na manhã seguinte enquanto tomava um cafezinho, veio-me a ideia desta iniciativa: o “Café Carmelita”. Depois, com a divulgação durante a transmissão da bênção da imagem do Menino Jesus no Santuário de Arezano, a iniciativa se estendeu por toda a Itália e fora do país.

Uma contribuição em áudio

Trata-se de um áudio Whatsapp, de curta duração, no máximo 5 minutos, em que se lê o Evangelho do dia; depois o frei encarregado oferece uma breve reflexão sobre a passagem do Evangelho e tudo termina com uma oração e o desejo de um dia bom e santo". Uma contribuição que se enriquece dia após dia, explica Frei Lorenzo. “É claro que o ‘Café’ que chega da República da África Central tem um aroma, um sabor especial e particular, porque é degustado com a alegria que vem daquele país que enfrenta, como nós, uma situação de emergência. Percebi, continua o frade, que as pessoas gostam muito de iniciar o dia ouvindo a Palavra de Deus. Assim, por um lado, tivemos esta ressonância, um grande desejo do povo da Palavra de Deus e, por outro, a iniciativa fez crescer não só nas pessoas essa consciência, mas também em nós jovens frades: fez-nos tomar consciência - confidencia - de sermos instrumentos nas mãos de Deus".

A solidão do lockdown

Durante a quarentena, quando não era possível celebrar Missas com a presença física dos fiéis, o "Café Carmelita" assumiu particular importância. "Recordo de uma senhora – conta Frei Lorenzo - que passou a quarentena sozinha, pois seus parentes moram longe. E essa iniciativa a ajudou a lidar com essa situação de solidão na emergência: inicialmente enviávamos o áudio às 9 da manhã mais ou menos, e um dia, quando estávamos alguns minutos atrasados, ela mandou uma mensagem dizendo: 'Hoje nada de 'Café'? Como eu faço, sinto muita falta!", porque o Café cria uma saudável dependência da Palavra de Deus, uma dependência de amor para com Deus. Este é, portanto, um belo testemunho de como a Palavra de Deus realmente faz companhia, sacia o coração e o torna sereno mesmo em uma situação que não é serena”.

Até os confins do mundo

Agora, na nova fase da emergência, permanece a iniciativa diária. O projeto agora é "expandir essa iniciativa e - aponta o Carmelita descalço - pedir a ajuda de nossos confrades, de outros conventos, justamente porque juntos podemos fazer muito, podemos realmente levar a Palavra de Deus até os confins da terra", porque "ela tem sempre algo a dizer ao coração do homem e à sua vida cotidiana".

24 junho 2020, 11:16