Busca

Vatican News
Campo de Refugiados em Pissila, Burkina Faso Campo de Refugiados em Pissila, Burkina Faso  (WFP/Marwa Awad)

Bispos de Burkina Faso reunidos em sua Assembleia Plenária

Coronavírus, terrorismo e eleições, entre os temas que estão sendo tratados pelo episcopado desde terça-feira. Devido às restrições impostas pelo coronavírus, os bispos da Nigéria não participam da Assembleia.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Reunidos em Assembléia Plenária, os bispos de Burkina Faso estão discutindo esse momento particular caracterizado pela emergência do coronavírus e pelos repetidos ataques terroristas no país.

De acordo com as normas anti-Covid, e para observar melhor o distanciamento social, os prelados escolheram se reunir no Centro Nacional Cardeal Paul Zoungrana, em Ouagadougou.  Com eles, desde terça-feira, os 25 secretários-gerais das Comissões Episcopais.

Segundo o portal da Conferência Episcopal, o encontro foi aberto com a saudação do cardeal Philippe Ouedraogo, arcebispo de Ouagadougou, e o discurso do presidente da Conferência Episcopal de Burkina-Níger, Dom Laurent Dabiré, bispo de Dori. Os prelados do Níger não puderam participar devido às restrições impostas pela pandemia.

Em Burkina Faso, o vírus atingiu religiosas, religiosos, sacerdotes, muitos seminaristas do Seminário de São Pedro e São Paulo de Ouagadougou e o próprio cardeal Ouedraogo.

O prelado observou que é necessário aprender com o que aconteceu por causa da pandemia. "Seria oportuno e útil meditar sobre essa travessia do deserto devido ao coronavírus e tirar dela lições, quer a nível pessoal como comunitário".

 Dom Dabiré, por sua vez, ilustrou os tópicos a serem abordados durante o trabalho: as atividades das várias Comissões Episcopais, as experiências de vida das diferentes dioceses, a pandemia, a atual situação nacional, a insegurança e as iminentes eleições gerais.

Vatican News - TC

13 junho 2020, 21:07