Busca

Vatican News
Coronavirus - Campanha AIS Coronavirus - Campanha AIS  (Copyright: free with credit to Photographer)

AIS/Portugal lança campanha solidária em tempo de pandemia

A iniciativa da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre destina-se a apoiar sacerdotes e religiosas na “linha da frente” na defesa das populações atingidas pelo Covid-19 em vários países do mundo.

Domingos Pinto – Lisboa

“É a ajuda possível à igreja que está no terreno”.

Ouça e compartilhe!

É desta forma que Catarina Martins de Bettencourt, diretora do secretariado português da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS),  sublinha à VATICAN NEWS o sentido da campanha lançada por aquela fundação aos seus benfeitores para apoiar sacerdotes e religiosas que estão na “linha da frente” no combate ao Covid-19.

Pedidos de igrejas, congregações e dioceses de países que “precisam de ajuda imediata” como a Índia, Ucrânia, Burquina Faso, Venezuela, Camarões, Síria, República Democrática do Congo, Haiti ou Nigéria, diz Catarina Martins.

“Esta igreja que Sofre foi fortemente atingida pela pandemia e precisa de ajuda para poder ajudar, porque não tem capacidade para ajudar todos aqueles que lhe batem à porta”, diz a diretora do secretariado português da AIS que destaca a “urgência” deste apoio no âmbito desta campanha.

“Este sentimento que vem desta pandemia, falando aqui dos benfeitores portugueses, é, de fato, um enorme espirito de solidariedade e de estar ao lado dos outros, e de querer minorar estas dificuldades, este sofrimento acrescido que estão a passar estas comunidades”, explica.

A diretora da AIS/Portugal acrescenta que “pela 1ª vez estamos a sentir o que as comunidades perseguidas muitas vezes não podem fazer, que é ir à missa , não têm uma igreja para ir à missa, não podem receber os sacramentos”, uma situação que acaba “por nos aproximar e por perceber também as dificuldades que estas comunidades têm”.

“Há de fato, esta esperança, e esperança de um dia melhor com esta expectativa de estar atento ao outro, este estar mais solidário com o outro possa surgir ainda com mais força aqui em Portugal, e, concretamente, nos benfeitores da AIS”, conclui Catarina Martins.

A AIS foi fundada em 1947 pelo Padre Werenfrise Van Straaten que se inspirou na mensagem de Fátima após a Segunda Guerra Mundial e começou por ajudar os refugiados da Alemanha de Leste que fugiam da ocupação comunista. Em Portugal, a Fundação Ajuda a Igreja que Sofre (AIS) começou em 1995.

 

19 maio 2020, 09:46