Busca

Vatican News
Semana Santa na Xatedral de São João, em Przemysl Semana Santa na Xatedral de São João, em Przemysl  (ANSA)

Na Polônia, voluntários de Ordens religiosas e Congregações na linha de frente no combate à pandemia

Assistência espiritual em hospitais e casas de repouso, celebração de Missas nas ruas ou em sacadas, mas também entrega de refeições ou a medição da temperatura. Existem religiosos que até mesmo ajudam as equipes de bombeiros. Outros ainda cuidam dos idosos solitários, levando a eles refeições quentes, oferecendo apoio com telefonemas ou visitas aos pobres e sem-teto.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Aumenta a resposta dos voluntários pertencentes a Ordens e Congregações religiosas na Polônia, que entre outras atividades, ajudam os profissionais da saúde na luta contra a epidemia de coronavírus, como pode ser verificado nos últimos 40 dias, ao se controlar as listas elaboradas para este fim, comunica um artigo publicado pelos bispos da Polônia.

Durante a noite, esses voluntários estão prontos para ir a lugares específicos onde existem pessoas que necessitam de ajuda direta. Trata-se de uma resposta excepcional ao apelo do presidente da Conferência dos Superiores Maiores das Ordens religiosas masculinas, frei Janusz Soka, que em 20 de abril encorajou os religiosos a se oferecerem como voluntários nos Centros de Assistência Social.

"Foi-nos solicitado para formar um grupo de voluntários religiosos prontos para ajudar no cuidado dos doentes em casas de repouso. Como sabemos, em alguns lugares da Polônia há uma extrema necessidade de voluntários", escreveu o pe. Janusz Sok no apelo, que foi atendido entre outros, por salesianos, redentoristas, salvatorianos, missionários combonianos, missionários oblatos, carmelitas, franciscanos, beneditinos, capuchinhos, claretianos, missionários do Preciosíssimo Sangue.

Mesmo antes da publicação da carta, as Congregações masculinas já estavam ativamente envolvidas em várias iniciativas de ajuda para combater a epidemia. De fato, muitos dos novos voluntários substituirão os que já estavam engajados desde o início da emergência em hospitais e casas de repouso, onde prestam não apenas assistência espiritual, mas também trabalham em atividades como a entrega de refeições ou a medição da temperatura. Existem religiosos que ajudam até mesmo equipes de bombeiros.

Muitos sacerdotes e religiosos, no entanto, deram preferência à ajuda aos doentes e idosos em suas paróquias religiosas ou nas ruas, onde celebram Missas e celebram a Eucaristia nas sacadas e terraços. Outros ainda cuidam dos idosos solitários, levando a eles refeições quentes, oferecendo apoio com telefonemas ou visitas aos pobres e sem-teto.

Em toda a Polônia, as Congregações masculinas administram, entre outros, 5 hospitais, 13 hospícios, 21 casas de repouso, 14 farmácias, 8 centros de medicamentos e 66 clínicas psicoeducativas, bem como 17 centros de tratamento de toxicodependência; 29 centros de reabilitação e de educação e escolas especiais; 4 albergues para viciados em drogas; 9 abrigos e acomodações para os sem-teto; quase 50 refeitórios para os sem-teto e os pobres. (RB)

01 maio 2020, 07:38