Busca

Vatican News
Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente 

Patriarca de Lisboa faz apelo a “uma ecologia integral”.

No 5º aniversário da Encíclica “Laudato Si”, D. Manuel Clemente presidiu à Missa da Ascensão do Senhor na capela do Santíssimo Sacramento, na igreja da Portela, na capital portuguesa

Domingos Pinto – Lisboa

“Uma ecologia integral, repito, em que o ser humano e todos os outros seres são igualmente respeitados em tudo aquilo que são as suas necessidades básicas, de viver, de se manterem, a si e aos seus”.

Ouça e compartilhe!

O desafio foi lançado pelo Cardeal Patriarca de Lisboa D. Manuel Clemente na missa da solenidade da Ascensão do Senhor transmitida pela RTP1, no último domingo, 24 de maio, na capela do Santíssimo Sacramento, na igreja da Portela, em Lisboa.

“Olhemos para o mundo como uma Criação pela qual temos que dar graças a Deus, mas que nos responsabiliza na sua manutenção e até recuperação em muitos casos”, disse na sua homilia o Patriarca de Lisboa numa referência à encíclica “Laudato Si” do Papa Francisco no 5º aniversário da sua publicação.

“Olhemos para os outros de uma maneira mais humana e humanizada. Olhemos para tudo de uma maneira mais solidária e eficaz”, sublinhou D. Manuel Clemente que enquadrou liturgicamente a solenidade da Ascensão do Senhor.

“Reparamos em muitos sinais de ascensão nos testemunhos de pessoas que mesmo nesta crise pandémica têm subido, têm subido para sentimentos de solidariedade, que são os sentimentos que têm o toque divino”, sublinhou o Patriarca de Lisboa que deu como exemplo a solidariedade “nas famílias, nos lares, nos estabelecimentos de saúde”, entre outras situações da vida quotidiana.

“Ascendamos com Cristo para o mundo de Deus. Essa é que é a ascensão de que o mundo precisa”, disse D. Manuel Clemente que já no final da missa chamou ainda a atenção para o regresso às celebrações eucarísticas com a presença física de fiéis já a partir  do próximo dia 30 de maio, mas sempre no respeito das ”indicações das autoridades de saúde”.

Neste Domingo em que a Igreja assinalou o 54.º Dia Mundial das Comunicações Sociais, o Cardeal-Patriarca lembrou também todos os profissionais da comunicação e pediu “para que Deus, a todos, dê um coração grande e um espírito aberto a todo o bem que há no mundo”.

25 maio 2020, 12:03