Busca

Vatican News
Dom Kaigama acrescentou que, entre outras coisas, os fiéis ainda podem ter acesso à maior parte dos Sacramentos nas igrejas, desde que mantenham o distanciamento distância social e respeitem as regras fundamentais para evitar a propagação do Covid-19 Dom Kaigama acrescentou que, entre outras coisas, os fiéis ainda podem ter acesso à maior parte dos Sacramentos nas igrejas, desde que mantenham o distanciamento distância social e respeitem as regras fundamentais para evitar a propagação do Covid-19 

A tecnologia não é um instrumento para administrar Sacramentos, adverte Dom Kaigama

A tecnologia moderna não pode substituir o encontro presencial entre um ministro de Deus e os fiéis na administração dos Sacramentos e que, portanto, não se pode, por exemplo, se casar pelo skype, disse o arcebispo de Abuja.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

"A Igreja não pode administrar os Sacramentos por meio de tecnologia moderna ou por procuração", enfatizou o presidente da Conferência Episcopal da África Ocidental, Dom Ignatius Ayau Kaigama, arcebispo de Abuja, Nigéria.

Em uma entrevista à Nigeria News Agency - e publicada pela Recowacerao - sobre as restrições impostas devido à emergência do coronavírus, o prelado explicou que há outras coisas que podem ser feitas graças à tecnologia, mas no que tange aos Sacramentos, a situação é bem diferente.

 

A tecnologia moderna, por exemplo, não pode substituir o encontro presencial entre um ministro de Deus e os fiéis na administração dos Sacramentos e que, portanto, não se pode, por exemplo, se casar pelo skype.

O arcebispo Kaigama acrescentou que, entre outras coisas, os fiéis ainda podem ter acesso à maior parte dos Sacramentos nas igrejas, desde que mantenham o distanciamento social e respeitem as regras fundamentais para evitar a propagação da Covid-19, e que os sacerdotes sempre podem rezar pelos enfermos o administrar a Unção dos Enfermos, de acordo com as diretrizes recomendadas.

O arcebispo de Abuja exortou os religiosos e as empresas a colocarem à disposição estruturas de saúde para apoiar a luta contra o coronavírus.

Leia também:

Covid-19 na Nigéria: Igreja disponibiliza mais de 400 hospitais católicos ao governo

Covid-19: arcebispo de Abuja reitera apelo à unidade e solidariedade

Em tempos de igrejas fechadas, não fechar a Igreja em nossos corações, diz Dom Kaigama

Dom Kaigama exorta à oração pela convivência pacífica entre as religiões na Nigéria

A Conferência dos Bispos Católicos da Nigéria (CBCN) já disponibilizou 435 hospitais e clínicas para o Grupo de Trabalho Covid'19 da Presidência da República. "Demonstramos preocupação, unidade de intenção e compromisso na luta contra a doença e esperamos que outros façam o mesmo", disse o prelado, enfatizando também que a equipe médica e paramédica deve estar equipada com adequados e suficientes equipamentos de proteção individual. Por esse motivo, o prelado solicitou ao governo um maior comprometimento e a criação de centros de isolamento adequados para pacientes em convalescença.

Por fim, o arcebispo Kaigama precisou que a Covid-19 exige "disciplina e esforço coletivo" e convidou a observar as medidas estabelecidas pelas autoridades civis. "A doença está em toda parte, permaneçamos em casa, evitemos viagens desnecessárias, observemos uma boa higiene e permaneçamos seguros", concluiu.

Até a manhã desta segunda-feira, 11, havia 4.399 pacientes confirmados para Covid-19 e 143 óbitos. (TC)

11 maio 2020, 14:01