Busca

Vatican News
Banner do oitavo centenário do martírio de Santo Ângelo de Jerusalém (ou da Sicília) Banner do oitavo centenário do martírio de Santo Ângelo de Jerusalém (ou da Sicília) 

Ordem Carmelita celebra Jubileu dos 800 anos do martírio de Santo Ângelo de Jerusalém

Ângelo da Sicília, Ângelo de Jerusalém ou Ângelo de Licata nasceu em 1185 em uma família judaica e foi batizado, juntamente com seu irmão João, quando sua mãe se converteu ao cristianismo. Aos 18 anos, entrou na Ordem Carmelita, na Palestina, e em 1213 foi ordenado aí sacerdote. Foi martirizado em Licata, na Sicília, em 5 de maio de 1220.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

A Ordem Carmelita está em festa. Na terça-feira, 5 de maio de 2020, teve início o Jubileu especial convocado para celebrar os 800 anos do martírio de Santo Ângelo de Jerusalém, também chamado de Santo Ângelo da Sicília ou de Licata, pois está entre os primeiros carmelitas que do Monte Carmelo retornaram para a ilha italiana.

Indulgência

 

Para a ocasião, a Penitenciaria Apostólica concedeu ao Santuário de Santo Ângelo Gerosolimitano de Licata e à Igreja Mãe de Santo Ângelo de Muxaro, na Arquidiocese de Agrigento, bem como a todas as igrejas da Ordem Carmelita, “lugares onde a Indulgência Plenária pode ser lucrada durante todo o Ano Jubilar", que termina em 5 de maio de 2021.  O mesmo se aplica às outras igrejas e capelas dedicadas a Santo Ângelo.

“Como primeiro pensamento, peço a proteção de Santo Ângelo para o nosso mundo, que tenta conviver com o coronavírus - escreve o prior geral dos carmelitas, padre Míceál O'Neill em uma mensagem. Hoje podemos encontrar nele um modelo e um companheiro especialmente quando nos sentimos oprimidos por males como a criminalidade, o tráfico de pessoas, o abuso da casa comum”.

Modelo para os jovens

 

Santo Ângelo foi um mártir, continua o padre O'Neill, como "aqueles que hoje vemos nos hospitais, que assistem e tratam dos doentes do vírus, mesmo sabendo que suas vidas estão em perigo".

Em Santo Ângelo, prossegue a mensagem, vemos "a medida do verdadeiro compromisso em favor de uma causa que não é para a própria satisfação, mas é para o bem do próximo, para a defesa da verdade". E é olhando para ele que "os jovens de hoje podem encontrar um exemplo na busca de um propósito para sua vida e de um ambiente propício ao seu crescimento".

"Peço a Deus – conclui o Prior - que o Jubileu seja um sinal do amor de Deus pelo seu povo e que o Santuário, sob a responsabilidade dos carmelitas, possa oferecer à população local, aos imigrantes e aos peregrinos, um local de encontro, de restauração e de iluminação evangélica”.

A lista completa das celebrações do jubileu está disponível no site https://ottavocentenariosantangelo.org/.

Martírio na Sicília

 

Santo Ângelo nasceu em Jerusalém, em 1185. Após a morte de seus pais, junto com seu irmão gêmeo João, decidiu ingressar na Ordem Carmelita, mais especificamente no Convento do Monte Carmelo. Aos 25 anos foi ordenado sacerdote e, em 1218 foi enviado em missão a Roma para obter do Papa Honório III a confirmação da Regra do Carmelo, concedida posteriormente, em 1226.

Mais tarde, o futuro Santo foi à Sicília para pregar contra os cátaros. Mas em Licata, próximo de Agrigento, tem um embate com um cavaleiro da localidade, Berengario, um cátaro obstinado, que o ataca enquanto ele prega na igreja, ferindo-o mortalmente com cinco golpes de espada. Alguns dias depois, Ângelo morreu em consequência de seus ferimentos: era 5 de maio de 1220.

Ele foi sepultado na mesma igreja do martírio e seu túmulo imediatamente se tornou meta de peregrinações. A Ordem Carmelita o venera como Santo desde pelo menos meados do século XVI. O Papa Pio II aprovou o culto. Em 1662, seus restos mortais foram transladados para a nova igreja, construída no mesmo local após a libertação da cidade de Licata da peste de 1625, libertação ocorrida pela intercessão do Santo.

06 maio 2020, 07:12