Busca

Vatican News
"Desde o início da Covid 19, vimos um aumento significativo de pessoas que vêm ao centro para buscar comida", disse uma voluntária "Desde o início da Covid 19, vimos um aumento significativo de pessoas que vêm ao centro para buscar comida", disse uma voluntária  (ANSA)

"Cuidar dos pobres é um grande gesto de amor", diz bispo holandês ao visitar Banco de Alimentos

O arcebispo Hans van den Hende expressou seu apreço e gratidão pelo serviço prestado pelos jovens. "Cuidar dos pobres é um grande gesto de amor. Estou convencido de que o impacto negativo, do ponto de vista econômico, ainda deverá chegar, o que nos preocupa muito."

Vatican News

Ouça e compartilhe!

“Sejam testemunhas da rede de amor que é a Igreja”, exortou Dom Hans van den Hende, arcebispo de Roterdã, ao visitar o Banco de Alimentos que, no período de máxima difusão do coronavírus, trabalhou incessantemente distribuindo bens de primeira necessidade na localidade histórica de IJsselmonde (distrito sudeste de Roterdã).

Trata-se de um dos mais antigos "pontos de solidariedade" da cidade e, desde 2004, não apenas os fiéis da paróquia ali têm prestado serviços, mas também voluntários de Igrejas protestantes e os próprios moradores.

Devido à pandemia, decaiu muito a presença de idosos, mas a distribuição de alimentos foi igualmente garantida graças aos estudantes do Projeto Erasmus, coordenados pelo Banco de Alimentos dos Países Baixos.

"Abrimos na manhã de quarta-feira por volta das 8h30, hora em que os caminhões com as caixas de comida começam a chegar", explica Arie Vlot, voluntária do centro há onze anos.

“Geralmente eles chegam sempre atrasados ​​devido ao trânsito, mas nesse período sempre foram pontuais. Uma vez no destino, descarregamos as caixas no salão da paróquia. Cada uma tem uma cor diferente: amarelo para produtos que não têm data de vencimento, cinza para laticínios e preto para as carnes. Estes últimos alimentos são armazenados em grandes frigoríficos”, acrescenta Arie.

Depois de organizada a sala, os jovens tomam um café da manhã rápido e por volta das dez e meia começam a trabalhar.

"Na realidade, muitas pessoas carentes chegam mesmo antes do horário”, conta por sua vez Riet Schenkeveld, outro voluntário. "Desde o início da Covid 19, vimos um aumento significativo de pessoas que vêm ao centro para buscar comida".

O arcebispo Hans van den Hende expressou seu apreço e gratidão pelo serviço prestado pelos jovens. "Cuidar dos pobres é um grande gesto de amor. Estou convencido de que o impacto negativo, do ponto de vista econômico, ainda deverá chegar, o que nos preocupa muito."

04 maio 2020, 14:31