Busca

Vatican News
As pessoas que antes conseguiam a duras penas se sustentar, agora correm o risco de cair na pobreza". Cerca de um milhão de pessoas estão nessa situação na Suíça alerta a Caritas As pessoas que antes conseguiam a duras penas se sustentar, agora correm o risco de cair na pobreza". Cerca de um milhão de pessoas estão nessa situação na Suíça alerta a Caritas  (AFP or licensors)

Caritas Suíça: aumenta número de ameaçados pela pobreza no país

Em um comunicado, a organização caritativa ressalta que os indigentes e aqueles que vivem logo acima da linha da pobreza não têm os recursos financeiros nem a resiliência necessários para enfrentar a nova crise e que isso piorou drasticamente suas condições de vida: "As pessoas que antes conseguiam a duras penas se sustentar, agora correm o risco de cair na pobreza". Cerca de um milhão de pessoas estão nessa situação na Confederação.

Vatican News

"Quem quer reconhecer os efeitos mais graves da crise do coronavírus, deve olhar em primeiro lugar para as pessoas necessitadas e a classe média baixa", afirma a Caritas Suíça em um apelo dirigido ao Parlamento e ao Conselho Federal, no qual pede ajudas mais substanciais às categorias sociais mais expostas às consequências econômicas da pandemia.

No comunicado é enfatizado que os indigentes e aqueles que vivem logo acima da linha da pobreza não têm os recursos financeiros nem a resiliência necessários para enfrentar a nova crise e que isso piorou drasticamente suas condições de vida: "As pessoas que antes conseguiam a duras penas se sustentar, agora correm o risco de cair na pobreza". Cerca de um milhão de pessoas estão nessa situação na Confederação.

 

Segundo a organização de caridade suíça, o pacote de medidas do Conselho Federal apresenta "graves lacunas” justamente para essas categorias, com consequências dramáticas.

Neste sentido, propõe que sejam destinados 1000 francos suíços (equivalente a aproximadamente 946 Euros) às famílias e indivíduos com uma renda inferior à soma que dá direito a benefícios complementares. O custo total dessas medidas seria de um bilhão de francos, um investimento modesto para a estabilidade se comparado aos mais de 60 bilhões já alocados para a emergência, observa Caritas, que também pede outras medidas para apoiar essas pessoas: vagas gratuitas em jardins da infância, um aumento de 50% nos subsídios aos prêmios para o seguro saúde (ndr - seguro obrigatório na Suíça) e que o seguro-desemprego parcial seja aumentado para 100% do salário para as rendas mais baixas.

02 maio 2020, 07:07