Busca

Vatican News
Focos de incêndio sendo apagados no Parque Nacional de Biebrza, na Polônia Focos de incêndio sendo apagados no Parque Nacional de Biebrza, na Polônia  (ANSA)

Bispos da Polônia convidam a rezar pela chuva no país que sofre com a seca

O apelo partiu do presidente dos bispos, o arcebispo Stanisław Gadecki, para que os fiéis façam uma oração “persistente e fervorosa” de súplica pela chuva: “peço que nos santuários, nas paróquias, nas casas religiosas e nas famílias seja incluída essa intenção de oração”, além de pedir o fim da pandemia de Covid-19. Em abril de 2019, a seca provocou incêndios e vitimou inocentes no país.

Andressa Collet – Cidade do Vaticano

Ouça a reportagem e compartilhe

O presidente da Conferência Episcopal da Polônia, o arcebispo Stanisław Gadecki, faz um forte apelo a todos os fiéis para que façam uma oração “persistente e fervorosa” de súplica pela chuva: 

“Peço que nos santuários, nas paróquias, nas casas religiosas e nas famílias seja incluída essa intenção de oração, confiando que o Senhor Deus ouça os nossos pedidos.”

Além da pandemia do coronavírus, de fato, o país está lutando contra a seca e, segundo a nota publicada no site da Conferência, “centenas de milhares de hectares de território podem ser destruídos”. O arcebispo enfatiza que, tudo isso, “terá um impacto negativo na produção agrícola e, no futuro, sobre os preços dos produtos alimentares e sobre a capacidade de exportação do nosso país”.

O presidente dos bispos acrescenta que a seca está também atingindo milhares de agricultores que, junto às famílias, “vivem dos frutos da terra”, com graves repercussões também “sobre a indústria alimentar”. Por isso, o apelo a todos os fiéis de rezar incessantemente para que chova, confiantes no Senhor.

A estiagem de abril de 2019

A Polônia, um ano atrás, em abril de 2019, foi devastada por vários incêndios causados pela seca e por um clima excepcionalmente quente. Ao menos 6 foram as vítimas e 50 as pessoas feridas, além de quase 4 mil intervenções dos bombeiros para poder apagar cerca de 1.400 focos de queimadas e 344 incêndios florestais.

A gratidão por enfrentar o Covid-19

Dom Stanisław também expressa a sua gratidão pelo empenho demonstrado pelos agentes de saúde, sacerdotes, consagrados e fiéis leigos ao enfrentar a pandemia do coronavírus: todos, de fato, “com a oração fiel, o trabalho perseverante e a ajuda concreta contribuem à defesa da saúde e da vida dos poloneses”.

21 abril 2020, 14:34