Busca

Vatican News

Essencial que a vida eclesial possa recuperar seu caráter comunitário, dizem bispos franceses

Conscientes da impaciência dos fiéis em participar fisicamente das celebrações, nutrir e compartilhar juntos sua fé, os bispos da França reiteram ser essencial que a vida eclesial possa recuperar seu caráter comunitário, bem como a vida escolar, o desenvolvimento social e econômico, a partir de 11 de maio, data anunciada para o início do fim do confinamento.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Os termos e métodos do "desconfinamento", não somente das cerimônias litúrgicas, mas também das atividades catequéticas e de caridade da Igreja, estiveram no centro da reflexão dos bispos franceses durante a Assembleia Plenária, realizada por videoconferência no dia 24 de abril, após a suspensão de sua tradicional Assembleia de Primavera em Lourdes.

Durante a reunião virtual, os bispos concordaram com a necessidade de programar conjuntamente prazos e métodos para retomar a celebração das cerimônias litúrgicas e outras atividades pastorais, assim que tiver início a fase de abertura gradual da quarentena.

Conscientes da impaciência dos fiéis em participar fisicamente das celebrações, nutrir e compartilhar juntos sua fé, os bispos da França reiteram ser essencial que a vida eclesial possa recuperar seu caráter comunitário, bem como a vida escolar, o desenvolvimento social e econômico,  a partir de 11 de maio, data anunciada para o início do fim do confinamento.

Nesse sentido, os bispos manterão uma comunicação constante com as autoridades públicas, quer a nível nacional como local com os prefeitos, a fim de estabelecer um plano de ação específico para as igrejas e, em particular, para os santuários.

Segundo nota do episcopado, o arcebispo de Reims e o presidente da Conferência Episcopal Francesa, Dom Eric de Moulins-Beaufort, falou sobre o diálogo iniciado com o presidente da República, Emmanuel Macron e com o Governo. Da mesma forma, os bispos valorizaram positivamente a convergência de opiniões entre o Papa Francisco e o Chefe de Estado, após a conversa por telefone realizada na última terça-feira, 21 de abril, quando conversaram sobre os desafios internacionais e humanitários surgidos com a pandemia.

Por fim, o episcopado francês agradece ao pessoal da saúde e a todos aqueles que permitem que os serviços funcionem, apesar da crise de saúde, e asseguram sua proximidade com as famílias enlutadas e todas as vítimas da pandemia.

Um reconhecimento especial é dirigido aos sacerdotes, comunidades e movimentos cristãos por sua perseverança e criatividade no cuidado pastoral durante a quarentena.

Por fim, junto com todos os fiéis católicos, expressam sua firme decisão de contribuir para a paz e a esperança nestes tempos de crise compartilhada e se solidarizam com os esforços dos pobres na luta contra uma epidemia que continua sendo ameaçadora e difícil de ser controlada.

27 abril 2020, 07:39