Busca

Vatican News
Religiosa na entrada de um mosteiro em Madri Religiosa na entrada de um mosteiro em Madri  (AFP or licensors)

Bispo espanhol destaca trabalho dos religiosos que arriscam suas vidas pelos outros

"Dão tudo de si em favor dos idosos, sem serem pagos e sem nenhum custo para a sociedade", fala o bispo de Córdoba, Espanha, ao destacar o trabalho corajoso de religiosas, religiosos e sacerdotes que arriscam suas vidas para assistir aos idosos, os doentes, os que estão isolados em casa. É em tempos de provação que a verdadeira virtude é avaliada, nas situações extremas, que o melhor de nós aparece, sublinha Dom Demetrio Fernandez.

Vatican News

Em sua carta semanal aos fiéis, o bispo de Córdoba, Dom Demetrio Fernandez, destacou o trabalho realizado por "religiosos que arriscam suas vidas no cuidado dos idosos, e fazem isso por Deus, mesmo enfrentando campanhas midiáticas difamatórias e bem orquestradas, quando dão tudo de si em favor dos idosos, sem serem pagos e sem nenhum custo para a sociedade ".

O prelado também enfatizou as "inúmeras iniciativas de jovens e adultos para estarem próximos dos mais necessitados", considerando que, "quando sairmos dessa, reconheceremos que Deus esteve muito próximo de nós e que a caridade cristã não é 'o ópio do povo', mas a expansão do amor que brota continuamente do Coração de Cristo. Continuemos assim, porque é em tempos de provação que a verdadeira virtude é avaliada".

São muitos os testemunhos - como o prelado conta na carta - de sacerdotes que inventam mil maneiras para estarem próximos de seus fiéis e os encorajam nessa situação. Alguns deles arriscando a própria vida, para assistir sacramentalmente o povo de Deus, os enfermos, os idosos e os pobres.

Existem párocos - acrescenta - que administram a Comunhão pelo pai ou mãe da família, que ao irem às compras, vão buscá-la na paróquia e depois a levam respeitosamente a todos os que estão em casa. Isso é necessário, defende o prelado, porque "não podemos viver sem alimento para o corpo, e não podemos viver sem a Eucaristia para a alma, além da comunhão espiritual".

Deus nos dá um ensinamento durante esses momentos de confinamento sobre a "vida familiar, sobre o serviço recíproco, sobre o testemunho heroico daqueles que trabalham na linha de frente no campo de batalha, sobre a solidariedade de todos nós que permanecemos em casa para derrotar o vírus, sobre a preciosa lição de tantas pessoas que deixam este mundo na paz de Deus".  É justamente nas situações extremas, que o melhor de nós aparece.

A emergência de saúde com a propagação da pandemia, mostra portanto, "os abundantes testemunhos de caridade ativa" da Igreja; mostra como "esse isolamento é uma ocasião quer para a oração pessoal como familiar" e nos coloca diante desta extensão de generosidade e caridade.

 

 

04 abril 2020, 14:38