Busca

Vatican News

Covid-19. Dom Leahy: é hora da responsabilidade, "estamos falando de vida ou de morte"

O bispo irlandês de Limerick, dom Brendan Leahy, exorta a “continuar fazendo sacrifícios” porque “cada um de nós tem um impacto sobre o outro” e “cada gesto, cada ação, cada omissão repercute no bem comum”. Por conseguinte, é preciso “trabalho de equipe”, recomenda o prelado aos fiéis, conscientes do fato de que “estamos falando de vida ou de morte”

Cidade do Vaticano

Ouça e compartilhe

Em tempos de pandemia da Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, “é o momento de lembrar o bem comum”: é o que afirma, numa declaração publicada no site da Conferência Episcopal Irlandesa, o bispo de Limerick, dom Brendan Leahy.

O comportamento de cada um repercute no bem comum

Passado um mês do início da quarentena obrigatória, decretada em 27 de março no país do oeste da Europa, o prelado exorta a “continuar fazendo sacrifícios” porque “cada um de nós tem um impacto sobre o outro” e “cada gesto, cada ação, cada omissão repercute no bem comum”. Por conseguinte, é preciso “trabalho de equipe”, recomenda o prelado aos fiéis, conscientes do fato de que “estamos falando de vida ou de morte”.

Em seguida, dom Leahy lança um apelo a fim de que, na quarentena, não se ceda aos maus costumes que podem levar à violência doméstica, como o hábito beber demasiadamente. ”Beber excessivamente, mesmo se não se tem um problema de alcoolismo, representa uma ameaça para nosso sistema imunitário”, “prejudica a si próprio e à sociedade e tem um custo terrível sobre as crianças. É preciso buscar ajuda”, escreve o prelado.

Preocupação com situação de países em desenvolvimento

Ao mesmo tempo, o bispo irlandês exorta os fiéis a “considerar também o bem comum da família mundial”:

“Devemos preocupar-nos com os países em desenvolvimento, como Malauí (sudeste da África) que tem um leito de terapia intensiva para cada um milhão de habitantes, ou Serra Leoa (costa oeste africana) que não tem nenhum, e o Sudão do Sul que tem dois ventiladores para doze milhões de pessoas.”

Coronavírus provoca também “pandemia da fome”

Mais ainda: suscita preocupação também o “aumento da fome em muitas partes do mundo”, porque “por causa do coronavírus”, do isolamento e da falta de transportes, a situação é catastrófica em várias nações. Está se verificando uma verdadeira ‘pandemia da fome’ e se preveem penúrias de proporções bíblicas”.

Nesta ótica, o prelado encoraja a “manter os horizontes abertos: nossa casa comum não é somente a ilha da Irlanda, mas também o planeta. E o modo como nos relacionamos um com o outro no seio da família mundial tem um impacto na biosfera do mundo”.

Oração pelos doentes e pelos anciãos

Ademais, convidando os fiéis a rezar pelos políticos para sustentar suas decisões, o bispo de Limerick se dirige aos adolescentes à espera da Primeira Comunhão, sacramento habitualmente administrado no final de abril.

“Sei que há garotos e garotas, pais e mães, irmãos e irmãs e avôs aos quais este momento especial é negado”, visto como “um momento emocionante e bonito que para muitos implica uma reaproximação à fé. Penso em todos vocês”, diz ainda. Por fim, eleva outra oração pelos doentes e pelos anciãos.

29 abril 2020, 13:12