Busca

Vatican News
Cidade do Panamá vazia por causa da pandemia de coronavírus Cidade do Panamá vazia por causa da pandemia de coronavírus 

Panamá: arcebispo agradece aos profissionais da saúde que lutam contra o coronavírus

A edição deste ano concentra-se no valor do trabalho de enfermeiros e obstetras, coincidindo também com o Ano Internacional dedicado a eles. Todavia, em decorrência da pandemia de coronavírus, o dia se tornou uma homenagem e um agradecimento aos agentes de saúde envolvidos na linha de frente na luta contra o vírus “Covid-19”.

Cidade do Vaticano

Celebra-se o Dia Mundial da Saúde, nesta terça-feira (07/04), instituído, em 1950, pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A edição deste ano concentra-se no valor do trabalho de enfermeiros e obstetras, coincidindo também com o Ano Internacional dedicado a eles. Todavia, em decorrência da pandemia de coronavírus, o dia se tornou uma homenagem e um agradecimento aos agentes de saúde envolvidos na linha de frente na luta contra o vírus “Covid-19”.

Dentre as numerosas mensagens divulgadas por vários órgãos institucionais, está também a Igreja Católica no Panamá. Numa nota, o arcebispo de Cidade do Panamá, dom José Domingo Ulloa Mendieta, exorta os fiéis a “agradecerem a Deus” pela coragem demonstrada por todos os profissionais de saúde que “prestam seu serviço profissional, garantindo assistência médica aos habitantes, sobretudo nessas circunstâncias de pandemia”.

“Vocês nos dão um testemunho visível do rosto humano, solidário e fraterno da assistência médica em momentos difíceis, apesar de colocarem suas vidas em risco”. Tanto é verdade que alguns morreram “porque sua vocação e seu amor pelo bem da nação os incentivou ao dom total de si”, ressalta o prelado, dirigindo-se aos que trabalham na área da saúde. “Temos a certeza de que a oferta da vida lhes rendeu a alegria eterna”, afirma dom Ulloa.

O arcebispo do Panamá expressa a mesma gratidão aos “pais, filhos, esposas, maridos e familiares” dos agentes de saúde pelo tempo que não podem estar com eles e pelo sacrifício que essa distância implica. Um sincero agradecimento foi dirigido aos obstetras que “ajudam a acolher a nova vida, esse maravilhoso milagre de Deus que ocorre a cada nascimento”.

Por fim, o prelado agradece a todos “desde o Ministro da Saúde até o trabalhador mais simples dos hospitais” pela “dedicação e vocação” demonstrada.

07 abril 2020, 16:41