Busca

Vatican News
Caracas: pessoas usam máscaras protetoras, mas disseminação do coronavírus continua Caracas: pessoas usam máscaras protetoras, mas disseminação do coronavírus continua 

Coronavírus, Venezuela: nasce o Conselho Inter-religioso Social

A ideia surgiu numa reunião realizada em novembro de 2019, “animada pela busca de soluções que contribuam para o bem comum e a paz, que ajudem a construir confiança onde há precariedade, ver esperança onde se vê apenas fatalidade e vislumbrar vida em vez de morte e destruição”.

Cidade do Vaticano

“Uma estrutura de reflexão e ação baseada na pluralidade, cuja contribuição será criar consenso para aliviar os graves problemas que a nossa sociedade está vivendo e prejudicam o valor essencial da família, o sentido de comunidade, além de enfraquecer a vida e as instituições democráticas.”

Nesse espírito, foi criado o Conselho Inter-religioso Social da Venezuela, composto por representantes das Igrejas Católica, Evangélica, Anglicana e Adventista, Comunidade judaica e um grupo de organizações sociais.

A Declaração conjunta, divulgada na última quarta-feira (22/04), explica que a ideia surgiu numa reunião realizada em novembro de 2019, “animada pela busca de soluções que contribuam para o bem comum e a paz, que ajudem a construir confiança onde há precariedade, ver esperança onde se vê apenas fatalidade e vislumbrar vida em vez de morte e destruição”.

Com o objetivo de oferecer uma contribuição concreta e conjunta para superar os enormes desafios que o país enfrenta, o Conselho Inter-religioso Social da Venezuela quer ajudar a fortalecer a capacidade de integração e esforço coletivo entre os diferentes setores do país.

“Um espaço de comunhão sem exclusões”, lê-se no documento, “para todos os atores religiosos, políticos e sociais que desejam trabalhar juntos pelo bem da família venezuelana, praticando as virtudes que são a base de uma boa ação política: justiça social, igualdade, respeito mútuo, tolerância e respeito pelas liberdades”.

Obviamente, os líderes religiosos não ignoraram que à situação frágil e urgente do país, que causou a migração maciça de venezuelanos, juntou-se a emergência humanitária e a crise global gerada pelo Covid-19. Assim, em 7 pontos, os representantes religiosos expuseram as bases do compromisso que, como Conselho, os levará a oferecer uma ampla gama de perspectivas, para que a sociedade venezuelana possa enfrentar a emergência, reencontrar a paz e iniciar a reconstrução do país.

O Conselho Inter-religioso Social da Venezuela, composto pela Igreja Católica, representada pela Conferência Episcopal, o Conselho Evangélico, a Igreja Adventista, a Comunidade Judaica, a União das Confederações de Igrejas Cristãs (UNICRISTIANA), a Igreja Anglicana e o Conselho de Igrejas Históricas de Caracas conclui sua declaração, afirmando que o trabalho conjunto “permitirá anunciar os sinais de paz e reconciliação possíveis, com mecanismos de construção inclusiva e animado por um espírito participativo e solidário, capaz de recuperar os valores comuns que devem sustentar as ações urgentes que hoje o nosso povo necessita”.

24 abril 2020, 17:42