Busca

Vatican News
Pessoas usando máscaras em frente ao Palácio de la Moneda, em Santiago do Chile Pessoas usando máscaras em frente ao Palácio de la Moneda, em Santiago do Chile  (ANSA)

Coronavírus, Chile: primeiro encontro inter-religioso para enfrentar a emergência de saúde

O fato de termos sido convocados é um motivo de grande alegria”, disse o bispo de San Bernardo, dom Juan Ignacio González, e testemunha o bom senso das autoridades, “porque o trabalho realizado pela Igreja católica e outras confissões religiosas é o de estar ao lado das pessoas que sofrem”.

Cidade do Vaticano

Realizou-se no Palácio de La Moneda, em Santiago do Chile, nesta quinta-feira (23/04), o primeiro encontro inter-religioso para decidir medidas e ações comuns entre o Executivo e as confissões religiosas a fim de enfrentar a pandemia de Covid-19.

A reunião, liderada pelo secretário-geral da Presidência, Philip Ward, contou com a presença de representantes da Igreja Católica, os bispos Celestino Aós e Juan Ignacio González, mas também de evangélicos, judeus, muçulmanos, adventistas, membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e da Igreja de Fé Bahai.

“Tratou-se de uma reunião muito importante”, sublinhou o ministro, num momento marcado pela emergência de saúde gerada pela pandemia de Covid-19 no país.

Faz-se apelo à unidade, visto que há “um pedido constante de abertura de espaços de diálogo”, sendo “necessária uma total transversalidade”, sabendo que todos estamos na mesma situação nesta crise. Segundo o ministro, Segpres e o Escritório Nacional de Assuntos Religiosos farão os trâmites nas decisões a serem tomadas entre o Governo e as confissões religiosas.

Ward ouviu as preocupações expressas pelos participantes e os agradeceu em nome do Presidente, pelo apoio dado às medidas adotadas a fim de manter um espaço de diálogo. Ele anunciou um “Dia de oração e reflexão para o Chile”, cuja data será comunicada em breve.

O fato de termos sido convocados é um motivo de grande alegria”, disse o bispo de San Bernardo, dom Juan Ignacio González, e testemunha o bom senso das autoridades, “porque o trabalho realizado pela Igreja católica e outras confissões religiosas é o de estar ao lado das pessoas que sofrem”.

Na ocasião, dom Gonzalez reiterou que a Igreja continuará doando “alimento, aquecimento e alojamento a todas as pessoas que precisam”, colocando à disposição do Governo suas estruturas e meios. “O essencial é estar juntos em oração, em comunhão, como filhos do mesmo Deus e pedir a Ele que vejamos com sabedoria o que está nos ensinando este acontecimento”, afirmou.

Depois de agradecer a convocação do encontro, o prelado assegurou às autoridades a proximidade da Igreja católica, sua oração e seu fervoroso desejo de ajudar em tudo o que for necessário.

24 abril 2020, 12:46