Busca

Vatican News
Soldado protege a Igreja de Santo Antônio, em Colombo, uma semana após os atentados na Páscoa de 2019 Soldado protege a Igreja de Santo Antônio, em Colombo, uma semana após os atentados na Páscoa de 2019  (AFP or licensors)

Cardeal Ranjith cobra do governo investigação sobre atentados na Páscoa

O purpurado cingalês se diz pronto a lançar protestos caso o governo não encontrar os responsáveis pelos atentados na Páscoa de 2019 que mataram mais de 300 pessoas. "Aqueles que não agiram" para descobrir os culpados "não têm direito aos nossos votos católicos", afirmou indignado o purpurado, em vista das eleições convocadas para 25 de abril.

Cidade do Vaticano

O cardeal Malcolm Ranjith, arcebispo de Colombo, afirmou em 8 de março na Basílica de Tewatte, estar pronto para lançar protestos caso o governo do Sri Lanka não encontrar os culpados pelos ataques da Páscoa do ano passado, relata a UCA News (Union of Catholic Asian News).

Ouça e compartilhe!

Segundo o purpurado, o governo não tomou medidas em relação aos ataques terroristas de 21 de abril de 2019, que mataram mais de 300 pessoas em três igrejas e três hotéis de luxo - incluindo 40 cidadãos estrangeiros – além de terem provocado ferimentos em pelo menos 500 cingaleses.

O governo deu início a várias investigações para encontrar os verdadeiros culpados, os apoiadores e todos os responsáveis ​​pelos massacres que ensanguentaram a ilha, entre as quais, uma realizada por uma comissão presidencial e outra por uma comissão parlamentar.

O próprio cardeal Ranjith compareceu perante a comissão presidencial de investigação nos dias 6 e 7 de dezembro do ano passado, representando as preocupações, reclamações e opiniões das vítimas, de suas famílias e da comunidade católica em geral.

O arcebispo de Colombo - relata a UCA News - preocupado com as notícias da transferência de policiais que investigam os atentados, disse estar convencido de que o governo deveria publicar todos os relatórios do comitê provisório sobre ataques terroristas.

"As investigações dos atentados no Domingo de Páscoa revelaram o envolvimento de 'pessoas de peso' ligadas ao governo e nenhuma medida foi tomada contra eles", afirmou o cardeal.

"Iremos às ruas com nossa gente, havendo ou não essas eleições". O presidente do Sri Lanka, Gotabaya Rajapaksa, depois de dissolver o Parlamento em 2 de março, convocou eleições gerais para 25 de abril de 2020.

"Aqueles que não agiram" para descobrir os culpados "não têm direito aos nossos votos católicos", afirmou indignado o purpurado. "Esperamos que o presidente faça uma declaração a este respeito".

A arquidiocese de Colombo organizou momentos especiais de oração em todas as igrejas de 17 a 21 de abril, para rezar pelas vítimas dos atentados e por seus familiares.

10 março 2020, 14:21