Busca

Vatican News
Fiel reza junto à grade na Praça São Pedro que divide o Estado da Cidade do Vaticano da Itália Fiel reza junto à grade na Praça São Pedro que divide o Estado da Cidade do Vaticano da Itália  (AFP or licensors)

Uma Praça cheia das nossas preces

Nesta sexta-feira dia 27 de março o Papa Francisco rezará na Praça de S. Pedro. No vazio do espaço, o tempo da oração dará fé e esperança aos corações. Para resistir ao coronavírus.

Rui Saraiva

A pandemia do coronavírus continua a matar milhares de pessoas em todo o mundo. Atenção especial para Itália e Espanha, países que vivem horas muito difíceis. Nos países lusófonos destaque para Angola que decretou nesta quarta-feira dia 25 março o estado de emergência a ser cumprido a partir de 27 de março.

Bênção Urbi et Orbi a 27 de março

 

Precisamente na sexta-feira, 27 de março, o Santo Padre vai presidir a um momento de oração na Praça de S. Pedro. Uma “praça vazia” disse o Papa, mas que estará cheia das nossas preces. O anúncio foi feito pelo Santo Padre no Angelus do IV Domingo da Quaresma:

“Na próxima sexta-feira, 27 de março, às 18h presidirei um momento de oração no adro da Basílica de S. Pedro, com a Praça vazia Convido todos, desde já, a participar espiritualmente através dos meios de comunicação.”

Será um momento preenchido pela Palavra de Deus e a Adoração Eucarística. O Papa dará a Benção Urbi et Orbi:

“Ouviremos a Palavra de Deus, elevaremos a nossa súplica, adoraremos o Santíssimo Sacramento, com o qual no términus darei a Bênção Urbi et Orbi a qual será acompanhada da possibilidade de receber a indulgência plenária.”

Responder à pandemia com a oração

 

O Papa Francisco renovou a sua proximidade aos doentes, aos profissionais de saúde e às autoridades. Sublinhou a importância de responder à pandemia do coronavírus com a universalidade da oração:

“À pandemia do vírus queremos responder com a universalidade da oração, da compaixão, da ternura. Permaneçamos unidos. Façamos sentir a nossa proximidade às pessoas mais sozinhas e com mais dificuldades.”

“A nossa proximidade aos médicos, aos profissionais de saúde, enfermeiros e enfermeiras, voluntários... A nossa proximidade às autoridades que devem tomar medidas duras, mas para o nosso bem. A nossa proximidade às policias, aos soldados, que nas ruas procuram manter sempre a ordem, que se realizem as coisas que o governo pede para o bem de todos nós. Proximidade a todos.”

Oração do Pai Nosso no dia da Anunciação

 

Foi com a oração do Pai Nosso que o Papa Francisco reuniu o mundo para rezar neste momento de provação devido ao novo coronavírus. Fê-lo na quarta-feira, 25 de março, dia em que o calendário litúrgico indica a Anunciação do Senhor, 9 meses antes do Natal.

Antes da oração o Santo Padre sublinhou que aquele momento era para olharmos o Pai e “implorar misericórdia pela humanidade provada duramente pela pandemia de coronavírus”.

Um momento no qual o Papa afirmou a sua preocupação com aqueles que estão a sofrer tanto nos hospitais: doentes e profissionais de saúde. Francisco sublinhou ser esta uma oração na unidade:

“E fazemos isto juntos, cristãos de todas as Igrejas e comunidades, de cada tradição, de todas as idades, línguas e nações.”

“Rezemos pelos doentes e suas famílias, pelos profissionais de saúde e aqueles que os ajudam, pelas autoridades, pela policia e voluntários, e pelos ministros de nossas comunidades” – disse o Papa.

O mundo acolheu a oração dirigida ao Pai. A oração que Jesus nos ensinou:

“Pai-Nosso que estais nos céus,

santificado seja o vosso Nome,

venha a nós o vosso Reino,

seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje,

perdoai-nos as nossas ofensas

assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido,

e não nos deixeis cair em tentação,

mas livrai-nos do Mal.”

 

Laudetur Iesus Christus

26 março 2020, 13:37