Busca

Vatican News
Estátua do padre Mathew na O'Connell Street em Dublin no dia de São Patrício, quando eventos públicos foram cancelados à medida que o número de casos de coronavírus cresce em todo o mundo Estátua do padre Mathew na O'Connell Street em Dublin no dia de São Patrício, quando eventos públicos foram cancelados à medida que o número de casos de coronavírus cresce em todo o mundo 

Irlanda: líderes cristãos convidam para 1 hora de oração no Domingo de Ramos

A oração confiará ao Senhor os doentes, os falecidos e seus familiares, as pessoas isoladas e solitárias. Também se rezará pelos médicos e profissionais de saúde, "pelas e com nossas comunidades", por aqueles que levam ajuda a outras pessoas, pelas famílias, amigos, líderes políticos e pelos "inevitáveis desafios ​​que surgirão nos próximos dias". O pensamento orante também irá para o resto do mundo em dificuldade e para pesquisadores que "trabalham duro para encontrar novas vacinas".

Vatican News

Líderes das principais Igrejas da Irlanda, juntamente com outras denominações e organizações cristãs, divulgaram uma declaração conjunta onde prestam uma homenagem a todos os que trabalham na linha de frente na batalha contra a pandemia do coronavírus e um encorajamento a seus esforços, quer no campo da saúde, como social. E convidam para uma hora de oração no dia 5 de abril, Domingo de Ramos, entre as 15 e as 16 horas.

Ouça e compartilhe!

Agentes da misericórdia e da compaixão

 

"Nestes dias em que não podemos mais nos reunir e 'ser igreja' na maneira tradicional – lê-se na declaração - somos chamados a viver o Evangelho como agentes da misericórdia e da compaixão de Deus, protegendo as pessoas vulneráveis ​​e encontrando novas formas de ser bons samaritanos".

Para todos os doentes, os líderes cristãos invocam "a força e o conforto da presença amorosa de Cristo", ao mesmo tempo em que expressam sua gratidão por aqueles que "trabalham de maneira desinteressada para minimizar o sofrimento causado pela pandemia", "enfrentando o perigo pelo bem de todos."

Sinais de esperança

 

Ao exortarem os fiéis a ficarem em casa em quarentena e a respeitarem as regras de segurança da saúde, os signatários observam como a atual crise de pandemia desenvolveu "uma maior consciência da interconexão e interdependência" de nossa sociedade. E não só: o vírus "Covid-19" fez brotar "muitos sinais de esperança", entre os quais "a velocidade com que as comunidades locais, as paróquias, as instituições de beneficência e as empresas se mobilizaram para responder a um desafio sem precedentes."

No entanto, os líderes cristãos reiteram que "ainda há um longo caminho a ser percorrido" para combater o vírus; um caminho que requer a ajuda de "muitos voluntários para o serviço de saúde" e de muitas "doações para as instituições de beneficência".

Oração sustenta nossa vida

 

"Todos somos chamados a fazer sacrifícios", diz o comunicado. Neste sentido, os signatários recordam que "há sempre uma constante: o Deus amoroso", que apoia, ajuda e encoraja. Daí o apelo conjunto à oração que "sustenta nossa vida", uma oração a ser rezada individualmente no Domingo de Ramos, ou em família, em conformidade com as normas de segurança anti-contágio que proíbem reuniões.

A oração confiará ao Senhor os doentes, os falecidos e seus familiares, as pessoas isoladas e solitárias. Também se rezará pelos médicos e profissionais de saúde, "pelas e com nossas comunidades", por aqueles que levam ajuda a outras pessoas, pelas famílias, amigos, líderes políticos e pelos "inevitáveis desafios ​​que surgirão nos próximos dias". O pensamento orante também irá para o resto do mundo em dificuldade e para pesquisadores que "trabalham duro para encontrar novas vacinas".

Embora fisicamente distantes - recordam os líderes cristãos - "todos são convidados a rezar, mesmo que nunca tenham rezado antes", porque "neste momento crítico", iremos nos dirigir ao "Deus amoroso" na sua "grande misericórdia".

Entre os signatários da declaração conjunta, está Dom Eamon Martin, primaz católico da Irlanda. 

30 março 2020, 09:22