Busca

Vatican News

Coronavírus na Terra Santa: cidade de Belém em regime de quarentena

O alarme causado pelo coronavírus atinge com particular veemência a área de Belém. A cidade onde Jesus nasceu já foi colocada na semana passada em regime de quarentena, após na área terem sido diagnosticados os primeiros 16 casos de pessoas contagiadas pelo Covid-19. Há vários dias Belém se apresenta como uma cidade fantasma

Cidade do Vaticano

Diante da pandemia do coronavírus que ameaça toda a humanidade, os patriarcas e os chefes das Igrejas de Jerusalém convidam os povos a as comunidades a respeitar “as disposições e as instruções das autoridades dos países em que vivemos”.

Ouça a reportagem na íntegra e compartilhe

Num comunicado comum, difundido na segunda-feira (16/03), os patriarcas e os chefes das Igrejas de Jerusalém expressam também a oração comum dirigida a Deus Todo-Poderoso a fim de que “se incline a olhar a situação e mostre a sua benevolência pelo nosso mundo sofredor”.

Viver este período confiante no Pai-Nosso

“Todos nós somos chamados a viver este período com confiança no Pai-Nosso que cuida de todas as suas criaturas. Portanto, é bom intensificar a oração pessoal, o jejum e a esmola, e caminhar na luz do amor de Deus”, concluem os representantes das comunidades cristãs da Terra Santa.

O alarme causado pelo coronavírus atinge com particular veemência a área de Belém. A cidade onde Jesus nasceu já foi colocada na semana passada em regime de quarentena, após na área terem sido diagnosticados os primeiros 16 casos de pessoas contagiadas pelo Covid-19.

Belém em quarentena, cidade fantasma

Os primeiros contágios de toda a Cisjordânia foram registrados num hotel da área de Belém, que tinha hospedado alguns peregrinos gregos que posteriormente resultaram atingidos pelo vírus.

Há vários dias Belém se apresenta como uma cidade fantasma. Também os estudante e os seminaristas do Patriarcado Latino de Jerusalém deixaram a sede do Seminário maior de Beit Jala e foram transferidos para a sede do Patriarcado Latino de Jerusalém. Desde 1936, é a primeira vez que isso acontece.

(Fides)

17 março 2020, 11:42