Busca

Vatican News
Passageira saindo do metrô em São Paulo com máscara protetora Passageira saindo do metrô em São Paulo com máscara protetora 

Igreja no Brasil toma medidas para prevenir a difusão do coronavírus

A Igreja emitiu um comunicado aos sacerdotes e ministros para que aconselhem e orientem os fiéis a receberem a Eucaristia em suas mãos, evitem o abraço e o aperto de mão como gesto de paz e o dar as mãos durante a oração de Pai-Nosso.

Cidade do Vaticano

O primeiro caso de coronavírus no Brasil causou a resposta imediata da Igreja que anunciou algumas mudanças nos ritos litúrgicos, assistência nas missas e outras atividades pastorais para prevenir e combater a propagação do vírus Covid-19.

As arquidioceses mineiras de Belo Horizonte, Uberaba e Juiz de Fora, e as nordestinas da Paraíba-João Pessoa e de Natal, no Rio Grande do Norte, emitiram um comunicado aos sacerdotes e ministros para que aconselhem e orientem os fiéis a receberem a Eucaristia em suas mãos, evitem o abraço e o aperto de mão como gesto de paz e o dar as mãos durante a oração do Pai-Nosso.

O Ministério da Saúde do Brasil confirmou, nesta quinta-feira (27/02), que um homem de 61 anos de São Paulo, é o primeiro caso do novo coronavírus na América Latina. Antes da notícia, o Bispo de Campos, dom Roberto Ferreria Paz, responsável pela Pastoral da Saúde da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), explicou que se trata de trabalhar na prevenção e difundir, na medida do possível, informações importantes através de folhetos de saúde sobre o vírus e as modalidades de infecção.

Ouça a reportagem

Dom Ferreira enfatizou que é importante tratar a informação sobre o vírus com objetividade científica e seriedade para evitar pânico e surtos de irracionalidade. “É importante, sobretudo, a solidariedade com as comunidades que sofrem e podem estar mais expostas, colaborar com os mecanismos de controle de saúde e estar sempre atualizado, para que possamos seguir adiante e neutralizar os riscos desse vírus para a população, especialmente os vulneráveis”, disse o bispo de Campos.

A nota do episcopado também ressalta que não será a CNBB a indicar normas ou medidas que as arquidioceses devem adotar, uma vez que cada local deve observar sua realidade e indicar as medidas necessárias. Portanto, cabe aos arcebispos e bispos orientar seus sacerdotes, bem como aos fiéis observar as normas de higiene compatíveis com o momento e com base nas indicações do Ministério da Saúde e outras autoridades de saúde.

A notícia do primeiro caso de coronavírus na América Latina ativou os planos de proteção e prevenção em quase todos os países da América Latina que confinam com o Brasil. Durante esses dias, as autoridades de saúde e de segurança de vários países, como Argentina, Chile, Equador, Colômbia, Peru e Venezuela anunciaram planos de emergência.

A Igreja no Equador divulgou um primeiro comunicado convidando a adotar algumas medidas de prevenção nas paróquias, igrejas e centros pastorais. A nota do episcopado equatoriano recomenda a adoção de medidas para as celebrações litúrgicas e encontros pastorais. Aconselha os fiéis a seguirem as recomendações de saúde dos especialistas a fim de prevenir a propagação da doença: distribuição do Sacramento da Eucaristia na mão, trocar com frequência a água benta, instalar medidas de higiene nos confessionários e não dar as mãos durante a oração do Pai-Nosso e no abraço da paz.

28 fevereiro 2020, 18:45