Busca

Vatican News
Franciscanos e fiéis católicos caminham em direção ao rio Jordão, para participar de uma cerimônia de batismo no local Qasr el-Yahud, perto de Jericó, na Cisjordânia ocupada por Israel Franciscanos e fiéis católicos caminham em direção ao rio Jordão, para participar de uma cerimônia de batismo no local Qasr el-Yahud, perto de Jericó, na Cisjordânia ocupada por Israel 

A festa do Batismo de Jesus às margens do Jordão

"Nosso Senhor sujeitou-se voluntariamente ao Batismo de São João, destinado aos pecadores, para cumprir toda a justiça (18). Este gesto de Jesus é uma manifestação do seu «aniquilamento». O Espírito que pairava sobre as águas da primeira criação, desce então sobre Cristo como prelúdio da nova criação e o Pai manifesta Jesus como seu «Filho muito amado» (Catecismo da Igreja Católica, n. 1224).

Jerusalém

Os freis da Custódia da Terra Santa juntamente com autoridades civis e religiosas e cristãos locais, foram em peregrinação até Qasr al- Yahud para a celebração da missa e renovação das promessas do batismo.

Ouça e compartilhe

Na festa celebrada em todo o mundo, aqui às margens do rio Jordão tem uma caracteristica particular, estar no lugar onde os fatos aconteceram.

Desde os primeiros tempos do cristianismo, os cristãos visitaram o lugar onde, de acordo com o Novo Testamento, Jesus foi batizado. Por séculos peregrinos caminharam até o local para comemorar este evento.

Pela importância do lugar, que se localiza na estrada de Jerusalém à Jericó, várias igrejas foram construídas com o passar dos séculos.

Após cinquenta anos fechado, o mosteiro franciscano de ‘Qasr el Yahud’, localizado junto ao lugar do batismo, em breve poderá ser visitado novamente pelos peregrinos. O edifício havia sido fechado em 1968 durante uma guerra . Por motivos de segurança, a área esteve marcada e cercada com valas desde os anos 70, e o acesso aos terrenos eclesiásticos e arredores era restrito. A presença de minas terrestres não identificadas fazia com que fosse grande o risco para os visitantes. Depois de un longo trabalho de desminização aos poucos cresce a área de acesso ao local.

Neste domingo 12 de janeiro os peregrinos tiveram a graça de ver o Rio Jordão transbordando devido às chuvas dos últimos dias. Hoje estamos aqui para lembrar o que aconteceu há dois mil anos às margens do rio Jordão - disse Fr. Francesco Patton, Custódio da Terra Santa - e estamos aqui para rezar pela paz, pelo bem-estar da população local e pela prosperidade de Jericó e seus habitantes.

O sítio, que é administrado pela Autoridade da Natureza e de Parques de Israel, está aberto ao público gratuitamente todos os dias.

(Lurdinha Nunes da Revista Terra Santa para a Rádio Vaticano)

Photogallery

Rio Jordão
13 janeiro 2020, 07:29