Busca

Vatican News

Efeito missionário da visita do Papa à Tailândia continua vivo no país

“Os lugares oficiais foram decorados como somente a sutileza tailandesa sabe fazer. Não era exaltação de grandeza, mas da autêntica alegria de mostrar o melhor de si ao Papa e ao mundo. Todos deram de si: instituições civis, empresas, pessoas simples e membros de outros credos. Mesmo as paróquias mais longínquas se ativaram para poder participar do evento”, afirma o Pe. De Battisti evidenciando o clima de comunhão que permaneceu vivo no país

Cidade do Vaticano

“A visita do Papa Francisco em novembro de 2019 teve um efeito missionário incrível. Permitiu aos tailandeses conhecer profundamente a consistência educacional, caritativa e espiritual da pequena Igreja católica”.

Ouça e compartilhe!

Clima de comunhão permanece

Na nota de felicitações que fez chegar à agência missionária Fides, por ocasião do Santo Natal, o missionário fidei donum em Chiang Mai, Pe. Attilio De Battisti, evidencia o clima de comunhão que permaneceu vivo a partir daquele evento.

Consciência da importância do evento

“A notícia de sua vinda estava no ar há meses, mas por razões diplomáticas foi dada ao domínio público pouco antes. A comunidade cristã ativou-se imediatamente e colocou em campo toda competência, energia, recursos. Todos tinham  consciência da importância do evento, quer para os cerca de 380 mil católicos, quer para a sociedade tailandesa prevalentemente budista”, explica o missionário.

Ampla preparação e cobertura da visita

“Telejornais, rádios, revistas, redes sociais encheram-se de imagens, testemunhos, tradições católicas. Foram preparados materiais de difusão pública de excelente qualidade. Foram organizadas as coletivas de imprensa, entrevistas, danças e cantos.”

Mostrar o melhor de si ao Papa e ao mundo

“Os lugares oficiais foram decorados como somente a sutileza tailandesa sabe fazer. Não era exaltação de grandeza, mas da autêntica alegria de mostrar o melhor de si ao Papa e ao mundo. Todos deram de si: instituições civis, empresas, pessoas simples e membros de outros credos. Mesmo as paróquias mais longínquas se ativaram para poder participar do evento.”

“A Arquidiocese de Bangcoc superou a si mesma na renomada hospitalidade. Colocou à disposição escolas, salões, estacionamentos, cozinhas para dar hospedagem a quem devia fazer até 10-15 horas de viagem de ônibus.”

Milhares de fiéis provenientes dos países vizinhos

“Também dos Estados vizinhos do Laos, Vietnã e Camboja chegaram em milhares para encontrar o Papa, vez que por razões políticas o Papa ainda não pode visitar esses países. Foi uma festa de cores, de emoções e de sinais. E se poderia até mesmo estudar a cultura tailandesa simplesmente olhando os vídeos destes eventos. Em suma, um bela Tailândia para o Papa”, finaliza o missionário fidei donum.

(Fides)

02 janeiro 2020, 14:11