Vatican News
“É profundamente preocupante ver que as festividades religiosas são distorcidas por aqueles que desejam plantar sementes de discórdia na Índia. Respeitar o direito de praticar a própria religião é fundamental." “É profundamente preocupante ver que as festividades religiosas são distorcidas por aqueles que desejam plantar sementes de discórdia na Índia. Respeitar o direito de praticar a própria religião é fundamental."  (AFP or licensors)

Advento na Índia marcado por intolerância em relação às minorias

"O nível de intolerância que estamos testemunhando neste país hoje é sem precedentes", diz uma ativista local dos direitos humanos.

Cidade do Vaticano

Diversos episódios de intolerância religiosa marcaram o período do Advento e da preparação para o Natal na Índia. Enquanto a nação é abalada pelos protestos pela adoção da Citizenship Amendment Act 2019, que discrimina a concessão do direito de cidadania, negando-o a refugiados muçulmanos, também as comunidades cristãs denunciam atos e episódios que violam a liberdade de culto e a prática religiosa, em diferentes Estados da Federação.

Ouça e compartilhe

Conforme comunicado à Agência Fides, um encontro para entoar canções natalinas foi interrompido abruptamente em 17 de dezembro em Permuapalayam, Tamil Nadu, por cinco homens que agrediram as pessoas presentes, incluindo um garoto de 17 anos.

O pastor protestante Joshua, que lidera uma comunidade local, havia reunido alguns fiéis para celebrar o Advento em sua casa, quando ocorreu a agressão dos militantes contra a celebração do Natal. E quando os cristãos no dia seguinte ao episódio foram à polícia para registrar queixa, eles foram desconsiderados e obrigados a se retirar.

"Os episódios de intolerância à fé cristã vêm aumentando em Tamil Nadu nos últimos anos", escreve à Agência Fides a ONG Christian Solidarity Worldwide (CSW), que monitora a situação das minorias religiosas na Índia.

Nehemiah Christie, ativista local pelos direitos humanos, revela que “o nível de intolerância que estamos testemunhando neste país hoje é sem precedentes. Os cristãos não podem celebrar as festas por medo de violência. Em linha de máxima, a atual liderança política deveria ser responsabilizada, pois promove uma falsa narrativa sobre as minorias religiosas. Hoje, o veneno que penetrou no nível de base é generalizado. A polícia também é cúmplice e não leva as queixas a sério. Em muitos casos, o sofrimento permanece ignorado, a violência permanece impune e as pessoas continuam vivendo com medo”.

Segundo a CSW, “é profundamente preocupante ver que as festividades religiosas são distorcidas por aqueles que desejam plantar sementes de discórdia na Índia. Respeitar o direito de praticar a própria religião é fundamental. Exortamos as autoridades a tomarem medidas apropriadas contra esses comportamentos e a promover uma cultura de respeito recíproco".

(Agência Fides)

22 dezembro 2019, 08:27