Busca

Vatican News

Voluntários da JMJ se encontram na terra da Padroeira do México

Jovens brasileiros, espanhóis e mexicanos se reencontram nesta semana no país e aproveitam para visitar o Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe que se prepara para a festa litúrgica de 12 de dezembro.

Andressa Collet - Cidade do Vaticano

Ouça a reportagem e compartilhe

O Santuário Nacional da “Morenita”, como é conhecida a Padroeira do México, é rota de muitos peregrinos da América Latina. Nesta semana, jovens brasileiros, espanhóis e mexicanos que foram voluntários internacionais da Jornada Mundial da Juventude se reencontram no país. A brasileira Caroline Dreier, natural de Erebango, no interior do Rio Grande do Sul, aproveitou para realizar um sonho: conhecer o Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, que se prepara para a festa litúrgica de 12 de dezembro.

“A Cidade do México é toda voltada para a Nossa Senhora de Guadalupe, ela aqui é um ícone. Tem uma avenida aqui, a avenida do Santuário e da peregrinação, que as pessoas usam para ir caminhando até lá ou de joelhos; e tem a outra de saída do Santuário que é a da Via Sacra, dos mistérios e com vários monumentos feitos no decorrer da avenida para mostrar”, disse a jovem.

A jovem Caroline realizando o sonho de conhecer o local
A jovem Caroline realizando o sonho de conhecer o local

20 milhões de peregrinos ao ano

O Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, a Basílica da Virgem Morena, guarda um quadro com a famosa imagem impressa de forma milagrosa. Com 20 milhões de romeiros por ano, é considerado o segundo santuário mais visitado do mundo, depois da Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Do alto do Monte Tepeyac, ao norte da Cidade do México onde se encontra o santuário, a jovem gaúcha compartilha suas impressões de um lugar onde se respira “a paz, a espiritualidade, onde a Nossa Senhora apareceu a Juan Diego e ficou estampado em seu manto”.

A aparição de N.S. Guadalupe

De fato, a história conta que a “Morenita” apareceu em quatro ocasiões a um índio chamado Juan Diego Cuauhtlatoatzin. Era o ano de 1531 e as aparições aconteceram naquele monte onde está hoje o templo para veneração da Virgem Morena, que hoje conta com a Velha Igreja e a Nova Basílica - que foi construída em razão do afundamento da antiga devido ao terreno movediço do local.

A Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe foi declarada santuário nacional do México e é considerada também a Padroeira da América Latina. No Brasil, é padroeira da Arquidiocese de Pelotas e venerada em santuário construído em sua homenagem na cidade.

08 novembro 2019, 18:29