Busca

Vatican News
Pe. Mário Marcelo Coelho, professor da Faculdade Dehoniana de Taubaté (SP), integra o grupo Pe. Mário Marcelo Coelho, professor da Faculdade Dehoniana de Taubaté (SP), integra o grupo 

Comissão para a Doutrina da Fé da CNBB conta com 13 peritos

O Grupo Interdisciplinar de Peritos da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil atua em várias áreas e disciplinas da teologia, como por exemplo: Dogmática, Bíblia, Moral e História da Igreja. Junto ao presidente, 4 bispos e um assessor, a Comissão foi instalada com a criação da CNBB e passou a ter esse nome a partir do Concílio Vaticano II, a pedido da Santa Sé.

Cidade do Vaticano

Em 23 de fevereiro de 1967, o Papa Paulo VI, através de uma Instrução aprovada por ele e emanada da Congregação Para a Doutrina da Fé, pede que cada Conferência Episcopal institua uma Comissão Doutrinal para o “serviço à verdade em vista do direito do Povo de Deus de receber a mensagem do Evangelho na sua pureza e na sua integralidade”. A Comissão de Doutrina, portanto, está a serviço, age por mandato da Conferência Episcopal e é um órgão consultivo de ajuda à Conferência Episcopal. Portanto, ajuda os bispos na salvaguarda do “depositum fidei”, contido na Sagrada Tradição e na Escritura.

A Comissão Episcopal Pastoral para Doutrina da Fé (CEPDF/CNBB) é composta pelo presidente e outros quatro bispos de diversas partes do Brasil, o assessor, além de 13 peritos. O grupo de peritos é composto por pessoas de várias áreas e disciplinas da teologia: Dogmática, Bíblia, Moral, História da Igreja, etc. “Esse grupo se reúne com os membros da comissão para tratar de temas teológicos importantes, muitos dos quais, mais tarde, são publicados, normalmente, sob forma de subsídios”, explica o assessor da Comissão, Pe. João Paulo Dantas. Além disso, a Comissão também presta assessorias analisando alguns textos litúrgicos e escritos relacionados à fé.

O grupo de 13 peritos

Trata-se de um grupo de especialistas em diversos assuntos relacionados à doutrina, que vão colaborar e dar pareceres teológicos acerca de textos, publicações, manifestações, entre outras atividades da Comissão.

Os novos peritos tiveram o nome confirmado na primeira reunião ordinária com a composição da comissão, em 5 de novembro de 2019, em Brasília (DF). Na ocasião, os bispos puderam conversar e chegar a um consenso em relação aos nomes para assessoria.

De acordo com o bispo de Santo André (SP) e presidente reeleito da Comissão para a Doutrina da Fé, Dom Pedro Carlos Cipollini, a fé é o tesouro da Igreja que precisa ser custodiada e, por isso, é preciso que haja uma comissão que tenha como tarefa ajudar a crescer na fidelidade. “É uma comissão que ajuda a caminhar, não é para engessar, mas é um corrimão que apoia quem caminha”, disse o presidente.

Pe. Mário Marcelo Coelho, professor da Faculdade Dehoniana de Taubaté (SP), Mestre e Doutor em Teologia Moral/Bioética pela Alfonsianum, de Roma, está entre os nomes dos treze integrantes do Grupo Interdisciplinar de Peritos (GIP) da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

A biografia de Pe. Mário Marcelo Coelho

Padre Mário Marcelo Coelho, scj, natural de Itumirim/MG, nasceu em 06 de abril de 1964. Foi ordenado sacerdote no dia 09 de dezembro de 2000. Zootecnista (1986); Mestre em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras/MG (1990); Licenciado em Filosofia pela Fundação Educacional de Brusque/SC (1996) e Bacharel em Teologia pela Faculdade Dehoniana em Taubaté/SP (2000). Mestre em Teologia Prática pelo Centro Universitário Assunção/SP (2002) e Doutor em Teologia Moral pela Academia Alfonsiana de Roma/Itália (2012). Autor e assessor na área da Bioética e da Teologia Moral; coordenador do curso de Teologia, além de professor da Faculdade Dehoniana em Taubaté (SP). Segundo Secretário da Sociedade Brasileira de Teologia Moral (SBTM).

A lista dos peritos

Padre Vítor Galdino Feller (FACASC) – Mestre e Doutor em Teologia Dogmática (PUG-Roma) – Florianópolis (SC);

Monsenho Antônio Luiz Catelan Ferreira (PUC-RJ) – Mestre e Doutor em Teologia Dogmática (PUC-SP/PUG-Roma) – Umuarama (PR). Membro da Comissão Teológica Internacional;

Professora Maria de Lourdes Corrêa Lima (PUC-RJ) – Mestre e Doutor em Teologia Bíblica (PUC-Rio/PUG-Roma; Pós-doutorado, PIB-Roma),  – Rio de Janeiro (RJ);

Padre Luis Henrique Eloy e Silva (PUC-Minas) – Mestre e Doutor em Ciência Bíblica (PIB- Roma) – Belo Horizonte (MG);

Padre Antônio Xavier Batista (FATEO e ISB – Brasília) – Mestre em Ciências Bíblicas e Arqueologia (SBF-Jerusalém) – Brasília (DF);

Professora Francilaide de Queiroz Ronsi (PUC-RJ) – Mestre e Doutor em Teologia Espiritual (PUC-Rio) – Natural de Juazeiro do Norte (CE);

Professor Marcos Augusto Ferreira Nobre (CATÓLICA-Quixadá-CE) – Mestre e Doutor em Ciências Patrísticas (Augustinianum-Roma), Natural de Fortaleza-CE;

Padre Jurandir Coronado Aguilar (PUC-PR) – Mestre e Doutor em História da Igreja (PUG-Roma) – Campo Mourão (PR);

Padre Thiago de Fraga Gomes – Doutorado em Teologia Fundamental (PUC – RS) – Osório (RS);

Padre Eleandro Teles – Doutorando em Teologia Moral (Alfonsianum-Roma) – Porto Alegre (RS);

Padre Mário Marcelo Coelho, scj (Faculdade Dehoniana-SP) – Mestre e Doutor em Teologia Moral/Bioética (Alfonsianum-Roma)- Taubaté (SP);

Padre João Paulo de Mendonça Dantas (Faculdade Católica de Belém/FTL-Suíça) – Mestre, Doutor em Teologia Sistemática (Pós-Doutorado -Habilitação , FTL- Suíça) – Belém-(PA);

Padre Luiz Henrique Brandão de Figueiredo (PUC-GO) – Mestre e Doutor em Teologia Moral (Pós-Doutorado, Alfonsianum-Roma) – Goiânia-GO.

29 novembro 2019, 18:33