Busca

Vatican News
Imagem de Nossa Senhora de Guadalupe Imagem de Nossa Senhora de Guadalupe 

Congresso em Roma pelos 40 anos de Puebla

Tem início nesta quarta-feira (02), o Congresso internacional com o tema "Comunhão e participação", por ocasião dos 40 anos da III Conferência Geral do Episcopado Latino-americano de Puebla, organizado pela Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL)

Cidade do Vaticano

Por ocasião dos 40 anos da III Conferência Geral do Episcopado Latino-americano de Puebla a Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL) organizou um Congresso Internacional de 2 a 4 de outubro de 2019, na Cúria Geral dos Jesuítas, em Roma, com o tema "Comunhão e participação".

Ouça e compartilhe!

A terceira Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano foi celebrada de 27 de janeiro a 12 de fevereiro de 1979 e inaugurada por São João Paulo II. O encontro tratou de temas como direitos humanos, problemas sociais, econômicos e políticos, assim como a realidade de um continente demograficamente muito jovem.

A inauguração foi na Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe com 356 participantes, e o tema para reflexão era: “A Evangelização no presente e no futuro da América Latina”. O contexto da conferência foi marcado pelos precedentes Sínodos dos Bispos (sobre a Evangelização em 1974 e sobre a Catequese em 1977), por Paulo VI através da Exortação Apostólica Evangelii nuntiandi e pelo Concílio Vaticano II e principalmente através do discurso inaugural de João Paulo II.

Apresentamos alguns fragmentos do Documento Final de Puebla

Unidade cultural latino-americana

“Esta religião do povo é vivida de preferência pelos “pobres e simples”, mas abrange todos os setores sociais e, às vezes, é um dos poucos vínculos que reúne os homens em nossas nações politicamente tão divididas. Por outro lado, deve sustentar-se que tal unidade contém diversidades múltiplas segundo os grupos sociais, étnicos e, mesmo, as gerações”.

Realidades que trazem esperança

“O homem latino-americano tem uma tendência inata a acolher as pessoas; a partilhar o que tem, a viver a caridade fraterna e o desprendimento (sobretudo no meio dos pobres); a compadecer-se do sofrimento alheio. Valoriza muito os vínculos especiais da amizade oriundos do apadrinhamento, e preza não menos a família e as relações que estabelece”.

Ameaças

Entre as ameaças o Documento assinada:

“Os bispos de Puebla identificaram algumas ameaças: a globalização como cultura univesal, centralizada na vida urbana e com características destruidoras de outras culturas e as atitudes consumistas”

Opção preferencial pelos pobres

“A opção preferencial pelos pobres tem como obje­tivo o anúncio de Cristo Salvador, que os iluminará sobre a sua dignidade, os ajudará em seus esfor­ços de libertação de todas as suas carências e os levará à comunhão com o Pai e os irmãos, median­te a vivência da pobreza evangélica.

Naqueles dias o Papa João Paulo II, ao se dirigir aos Operários em Monterrey, afirma:

“Jesus Cristo veio para compartilhar nossa condição humana com seus sofrimentos, suas dificuldades, sua morte. Antes de transformar a existência cotidiana, ele soube falar ao coração dos pobres, libertá-los do pecado, abrir seus olhos para um horizonte de luz e enchê-los de alegria e esperança. Hoje, Jesus Cristo faz o mesmo. Está presente em vossas Igre­jas, em vossas famílias, em vossos corações”

 

02 outubro 2019, 12:18