Busca

Vatican News
Iniciado na segunda-feira, 5 de agosto, o IX Congresso dos teólogos cristãos asiáticos se conclui no sábado, dia 10 Iniciado na segunda-feira, 5 de agosto, o IX Congresso dos teólogos cristãos asiáticos se conclui no sábado, dia 10 

IX Congresso dos teólogos asiáticos reflete sobre "Criação" e "salvação"

As obras da criação não podem ser separadas das obras de salvação. A ordem do mundo é um espaço vital para todas as criaturas e um espaço de encontro com Deus mesmo. A revelação de Deus, o desígnio da criação e a salvação dos seres humanos estão intimamente ligados entre si. Os seres humanos não podem conhecer o Criador sem conhecer e reconhecer sua criação”, disse o teólogo Augustinus Purba, que proferiu um discurso introdutivo do Congresso

Cidade do Vaticano

Os temas “Criação” e “salvação” encontram-se no centro do IX Congresso dos teólogos cristãos asiáticos – o maior encontro teológico Pan-Asiático –, iniciado esta segunda-feira, 5 de agosto, no Auditorium da Gereja Bethel Indonésia, em Medan, na província indonésia de Sumatra setentrional. Mais de 120 teólogos de várias confissões cristãs, provenientes de toda a Ásia, participam do Congresso, que se concluirá este sábado, dia 10.

Ouça e compartilhe!

O Criador e as obras de suas mãos

Pastor e moderador da “Gereja Batak Karo Protestan”, comunidade protestante indonésia, o Rev. Augustinus Purba proferiu um discurso introdutivo baseado no texto bíblico do Gênesis 9, 12-17.

“As obras da criação não podem ser separadas das obras de salvação. A ordem do mundo é um espaço vital para todas as criaturas e um espaço de encontro com Deus mesmo. A revelação de Deus, o desígnio da criação e a salvação do seres humanos estão intimamente ligados entre si. Os seres humanos não podem conhecer o Criador sem conhecer e reconhecer sua criação”, disse ele.

Compromisso com a salvaguarda da Criação

 

Já o arcebispo Willem T. P. Simarmata, moderador da Conferência Cristã da Ásia (CCA), abriu o congresso com um apelo a “retomar e renovar a ordem da criação”, contra a violência que pode haver no domínio humano sobre a terra.

Ressaltando a necessidade de modos participativos e inclusivos de viver juntos, Dom Simarmata declarou:

“Devemos intensificar nosso compromisso com a justiça e a paz e com a salvaguarda da Criação, a fim de enfrentar os desafios contemporâneos no continente asiático.”

Por sua vez, o secretário geral da Conferência Cristã da Ásia, Rev. Mathews George Chunakara, interpelou: “Considerando os enormes recursos humanos, as capacidades intelectuais, o potencial, as oportunidades de interações e intercâmbios recíprocos disponíveis na Ásia, que resultado tivemos ao apresentar uma autêntica teologia asiática?”.

Proximamente, a Assembleia das mulheres cristãs asiáticas

Reelaborando o tema “Reconciliação, renovação e reparação”, tocou várias questões relacionadas à terra, vida, relações humanas, segurança, paz e justiça na Ásia. Além disso, Chunakara acrescentou que a Conferência Cristã da Ásia organizará proximamente a Assembleia das mulheres cristãs asiáticas, em novembro deste ano, que terá como tema “Reconciliar, renovar e restabelecer a criação”; já a próxima assembleia geral da Conferência Cristã da Ásia terá como tema “Deus, renovai-nos em vosso Espírito e restabelecei a criação”.

Colaboração ecumênica

O delegado católico da Federação das Conferências Episcopais Asiáticas (FABC), Pe. Clarence Devadass, afirmou que o Congresso é “um dos muitos esforços de colaboração entre a Conferência Cristã da Ásia e a Federação das Conferências Episcopais Asiáticas, e que serve para transfigurar o trabalho dos teólogos na Ásia”.

Na agenda dos trabalhos encontram-se apresentações temáticas baseadas no tema principal e nos temas secundários, sessões de seminários, estudos bíblicos e sessões dedicadas ao diálogo inter-religioso.

(Fides)

07 agosto 2019, 18:39