Busca

Vatican News
"Deveríamos ser tratados como iguais cidadãos do Paquistão durante todos os 365 dias do ano, sem sequer ter necessidade de um Dia para as Minorias Religiosas no Paquistão", diz cardeal Josep Coutts "Deveríamos ser tratados como iguais cidadãos do Paquistão durante todos os 365 dias do ano, sem sequer ter necessidade de um Dia para as Minorias Religiosas no Paquistão", diz cardeal Josep Coutts  (AFP or licensors)

"Não devemos ser tratados como cidadãos de segunda classe", reitera cardeal Coutts

Ao recordar o discurso do fundador da pátria, cardeal Coutts reiterou que "somos paquistaneses, não somos migrantes de nenhum outro país, nascemos e crescemos no Paquistão e vivemos aqui há séculos, antes da independência do Paquistão. Não devemos ser tratados como cidadãos de segunda classe."

Cidade do Vaticano

"O fundador do Paquistão, Mohammad Ali Jinnah, em seu histórico discurso de 11 de agosto de 1947, assegurou-nos que pessoas de fé diferente do Islã, seriam cidadãos do Paquistão, com iguais direitos e deveres. Consequentemente, deveríamos ser tratados como iguais cidadãos do Paquistão durante todos os 365 dias do ano, sem sequer ter necessidade de um Dia para as Minorias Religiosas no Paquistão". Esta foi a consideração à Agência Fides do arcebispo de Karachi, cardeal Joseph Coutts.

Ouça e compartilhe!

Conhecido por seu compromisso na promoção da paz e da harmonia no Paquistão, por ocasião do Dia das Minorias, celebrado em 11 de agosto em todo o país, o cardeal reiterou que  "somos paquistaneses, não somos migrantes de nenhum outro país, nascemos e crescemos no Paquistão e vivemos aqui há séculos, antes da independência do Paquistão. Não devemos ser tratados como cidadãos de segunda classe."

"Contribuímos para o desenvolvimento do país desde o primeiro dia de sua independência, recordou o purpurado paquistanês. E fazemos isto ainda hoje. A Conferência Episcopal Católica paquistanesa, por exemplo, respondeu ao apelo do primeiro-ministro Imran Khan para a construção de bacias hidrográficas e de barragens no Paquistão, e nós arrecadamos doações de todos os nossos cristãos paquistaneses".

Neste sentido, "deveríamos ser tratados como cidadãos iguais aos outros e não como minorias religiosas no Paquistão". "Agradeço ao primeiro-ministro Imran Khan por se opor fortemente às conversões forçadas, em seu discurso de 30 de julho de 2019 durante a celebração do Dia das Minorias."

O cardeal Coutts conclui, ressaltando que "parece que este governo está muito consciente dos desafios do povo das minorias religiosas no Paquistão. É um sinal positivo, pedimos para gque garanta a proteção das minorias religiosas e de seus locais de culto".

(Agência Fides)

12 agosto 2019, 12:30