Cerca

Vatican News
Presidente dos bispos estadunidenses, cardinale Daniel DiNardo Presidente dos bispos estadunidenses, cardinale Daniel DiNardo  (AFP or licensors)

Bispos dos EUA pronunciam-se contra a política do medo

“É contrário aos valores estadunidenses e cristãos buscar impedir que as pessoas emigrem para cá quando estas fogem para salvar suas vidas e encontrar segurança para suas famílias”, afirma o presidente dos bispos estadunidenses, cardeal Daniel DiNardo, referindo-se à decisão tomada pela administração dos EUA, de modificar as modalidades de pedido de asilo

Cidade do Vaticano

O presidente da Conferência Episcopal dos EUA, cardeal Daniel DiNardo, escreveu diretamente ao presidente estadunidense, Donald Trump, para convidá-lo a reconsiderar as ações tomadas em relação aos imigrantes pelo Departamento para a segurança e que há semanas disseminou um pânico generalizado nas comunidades imigradas no país.

Ouça e compartilhe!

“Condeno essa postura porque criou um clima de medo em nossas paróquias e está causando um sofrimento inaceitável em milhares de crianças na fronteira, porque as autoridades alfandegárias separam as famílias”, escreve o purpurado.

Medida contrária aos valores estadunidenses e cristãos

O presidente da Conferência episcopal declara “equivocado e insustentável” o método utilizado pela agência para a imigração que através dessas medidas busca dissuadir os habitantes da América Central de deixar seus países.

“É contrário aos valores estadunidenses e cristãos buscar impedir que as pessoas emigrem para cá quando estas fogem para salvar suas vidas e encontrar segurança para suas famílias”, prossegue o cardeal referindo-se à decisão tomada pela administração dos EUA, de modificar as modalidades de pedido de asilo.

Nova lei impede EUA de papel assegurador do direito de asilo

Segundo a nova lei, os migrantes que chegam ao território dos EUA pelo confim sudoeste não serão considerados idôneos a expor solicitação de asilo se não apresentarem um pedido para um refúgio num país terceiro, em que para chegar a este tenha sido obrigado a viajar aos EUA.

“Isso nos exime a um dever moral e impede os EUA de assumir um papel guia na comunidade internacional como assegurador do direito de asilo”, reitera o cardeal.

Congresso condena comentários do Presidente Trump

Esta terça-feira (16/07) a Câmara dos Representantes do Congresso estadunidense aprovou uma resolução de condenação aos comentários considerados racistas feitos pelo Presidente Donald Trump em relação a quatro deputadas democratas.

A Câmara, que tem maioria democrata, votou a resolução com 240 votos favoráveis e 187 contrários. Quatro deputados republicanos votaram a favor da resolução.

(L’Osservatore Romano)

17 julho 2019, 18:38