Cerca

Vatican News
Rio Suchiate, Chiapas, México Rio Suchiate, Chiapas, México  (ANSA)

México: bispo pede garantia dos direitos da população indígena

Dom Rodrigo Aguilar Martínez, bispo de San Cristóbal de las Casas, pede às autoridades municipais de Chilón e do estado de Chiapas que cessem a campanha de difamação e garantam que a população possa exercer os seus direitos.

Cidade do Vaticano

Em comunicado, Dom Aguilar Martínez pede às autoridades municipais de Chilón e do estado de Chiapas que cessem os ataques contra a equipe missionária que colabora na Missão Jesuíta de Bachajón.

Exercício democrático

O bispo afirma que “no município de Chilón, onde a maioria da população é indígena, habitantes têm desenvolvido diferentes tipos de organização e de fortalecimento de sua identidade cultural; e recentemente decidiram exercer seu direito de ter uma forma de governo comunitário que lhes permita ter sua legítima autonomia, reconhecida pela legislação nacional e internacional. Assim, pediram às autoridades que estabeleçam o procedimento legal necessário que lhes permita governar-se sem a intervenção de partidos políticos”.

Salvaguarda dos direitos humanos

Dom Aguilar continua: “De acordo com a tradição diocesana... os membros da equipe missionária da Paróquia de Chilon têm acompanhado estas iniciativas do povo, porque correspondem ao exercício de seus direitos humanos e coletivos e porque o Sínodo Diocesano e o Plano Pastoral o indicam”.

Conflito em Chiapas
Conflito em Chiapas

Cessação da campanha de difamação

Em sua mensagem, o Bispo manifesta também a sua solidariedade para com os membros da comunidade, bem como para com a equipe missionária, e pede às autoridades municipais e estaduais “que cessem a campanha de difamação e garantam os direitos da população de exercer os seus direitos, e dos membros da Diocese de exercer o seu ministério e a acompanhar as comunidades a quem, durante séculos, foram negados os direitos”.

O comunicado acrescenta: "Uma sociedade sadia e uma autoridade legítima sabem assumir a diversidade numa nação multicultural e democrática; cabe a todos os seus membros assegurar que todas as partes se respeitem mutuamente e que, com a colaboração de todos, se mantenham a harmonia e o exercício dos direitos humanos e coletivos da população.

 

24 junho 2019, 16:10