Vatican News
Cristãos queinianos na Vigília de Páscoa em Nairobi Cristãos queinianos na Vigília de Páscoa em Nairobi  (ANSA)

Sacerdote italiano é o novo Superior da Sociedade para as Missões Africanas

Trata-se de um dos Institutos missionários que nasceram por volta da metade do século XIX para a evangelização da África, em especial dos países mais abandonados.

Cidade do Vaticano

A Assembleia Geral da Sociedade para as Missões Africanas (SMA) elegeu seu novo Superior Geral, que guiará o instituto internacional pelos próximos 6 anos. Pela primeira vez foi eleito um italiano, o padre Antonio Porcellato.

Depois de um longo período na África, onde assume cargos de responsabilidade na nascente Província Africana da SMA, residindo no Benim, na Nigéria e no Togo, padre Antonio retornou a Gênova em 2007, sendo eleito Vice-Provincial da Itália.

Em 2013, tornou-se Vigário Geral da SMA, residindo na Casa Geral em Roma, até que, há poucos dias, o Capítulo Geral o escolheu como o 15º Superior Geral na história do Instituto.

Imediatamente após sua ordenação sacerdotal, realizada em sua paróquia natal de Poggiana di Riese Pio X, em 28/06/1980, o recém-eleito Superior Geral fez uma experiência missionária na Costa do Marfim, obtendo antes uma Licença em Teologia Pastoral  no ICAO, em Abidjan, e depois trabalhando na Paróquia de São Pedro até 1985.

"A Assembleia Geral (como o Capítulo é chamado) - continua Padre Prada – reúne-se a cada 6 anos, e tem a tarefa de 'preservar o patrimônio espiritual de nosso Instituto, avaliar sua vida e seu trabalho para renovar suas energias em perseguir sua missão, planejar o futuro ”, como dizem as Constituições. Este ano é composta por 43 delegados, provenientes de vários países de 4 continentes diferentes”.

Os padres capitulares, reunidos em Roma de 30 de abril até 24 de maio, discutem o tema: "Uma família fiel ao seu carisma missionário, no complexo e mutável contexto atual".

"É uma ocasião muito forte de escuta do Espírito e de discernimento, na comunhão e na fraternidade. Trata-se de uma ocasião para renovar e fortalecer o espírito de internacionalidade que caracterizou a SMA desde o início", conclui padre Marco.

A Sociedade para as Missões Africanas 

 

Em 2006, a Sociedade das Missões Africanas (SMA) celebrou os seus 150 anos de fundação. Trata-se de um dos Institutos missionários que nasceram por volta da metade do século XIX para a evangelização da África, em especial dos países mais abandonados. Em 8 de dezembro de 1856, em Lyon (França), no Santuário de Nossa Senhora de Fourvière, o Bispo Dom de Marion Brésillac e seis companheiros se consagraram ao serviço das missões e deram início, assim, a um Instituto idealizado como uma “sociedade de vida apostólica” composta por sacerdotes e irmãos leigos, aberta a candidatos de todos os países e em estreito contrato com a Congregação de Propaganda Fide. 

A Sociedade das Missões Africanas dedicou-se à evangelização das populações da África Ocidental, contribuindo de modo notável ao nascimento e ao desenvolvimento das atuais Igrejas na Libéria, Costa do Marfim, Gana, Togo, Benin, Nigéria e Níger. Além desses países, os missionários SMA se encontram agora no Egito, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, África do Sul, Zâmbia, Tanzânia, Quênia e Angola.

O Instituto é composto atualmente por mais de 900 membros e quase 200 estudantes provenientes da Europa, da América, da África e da Ásia.

 

 

(Agência Fides)
 

14 maio 2019, 15:01