Cerca

Vatican News
Preparativos para a visita do Papa Francisco à Romênia Preparativos para a visita do Papa Francisco à Romênia  (ANSA)

A Romênia espera o Papa: entrevista com o coordenador da visita

De 31 de maio a 2 de junho o Papa Francisco fará uma Visita Apostólica à Romênia. Entrevista com o coordenador nacional da mídia para a visita pontifícia. Um sinal de atenção e de proximidade às comunidades romano-católica e greco-católica e a “vontade de fortalecer o diálogo ecumênico”

Cidade do Vaticano

Nos escritórios do centro diocesano de Bucareste as jornadas são intensas. Os preparativos para a visita do Papa Francisco à Romênia, de 31 de maio a 2 de junho, requer grande trabalho por parte de todos. Acolhendo o convite do Presidente da República e da Igreja Católica do país, o Papa fará uma viagem com múltiplas “facetas”: visita de Estado, pastoral e ecumênica ao mesmo tempo (no país estão presentes, além dos romano-católicos e os greco-católicos, a maioria ortodoxa e os protestantes).

Ouça e compartilhe!

A viagem do Papa terá quatro etapas: primeiramente Bucareste – onde celebrará uma missa na catedral dedicada a São José – depois a Iaşi, Blaj e ao Santuário mariano de Sumuleu Ciuc. Está prevista a beatificação de sete bispos mártires do período comunista. O lema oficial da visita, terá uma forte conotação mariana: “Sā mergem împreunā – Caminhemos juntos”. Francisco fará sua visita exatamente depois de 20 anos da visita de João Paulo II.

Padre Wilhem Danca, decano da Faculdade Teológica Católica de Bucarest e coordenador nacional da mídia para a visita pontifícia responde a uma entrevista:

Quais são as expectativas nas vésperas da chegada do Papa?

Padre Danca: Um sentimento de alegria, de grande espera. Nosso povo é muito cordial. Há muitas pessoas envolvidas nos preparativos. A festa popular de 11 de maio em Bucareste, organizada em vista da visita do Papa, confirmou tudo isso… As instituições públicas estão dando muita ajuda e apoio nos preparativos.

O Papa fará etapa em 4 cidades, com a beatificação de sete bispos, católicos com dois ritos e com duas línguas, romeno e húngaro. Também está previsto um encontro com autoridades civis, em um momento político particular para o país. Será uma viagem difícil?

Padre Danca: Sim, estamos trabalhando com determinação para que tudo dê certo. O fato que o Papa estará conosco por três dias é uma confirmação da delicadeza desta visita, além de ser um sinal de atenção e de proximidade à nossa comunidade e um desejo de fortalecer o diálogo ecumênico.

Vocês vêem um interesse concreto pela visita do Papa?

Padre Danca: Claro! Por razões logísticas pedimos a todos para se inscreverem pela internet aos vários eventos, escrevendo seus dados pessoais. Pois bem, para a etapa em Sumuleu Ciuc já temos 110 mil inscrições, mais de 50 mil para Iaşi e Blaj; números muito altos também em Bucareste, dezenas de milhares, e esperamos que as ruas estejam lotadas para ver o Papa, saudá-lo, dar-lhe nosso afeto. As próprias autoridades civis confirmaram a sua presença, a partir do presidente Klaus Iohannis, que é luterano, acompanhado pela sua esposa, que é católica. Os meios de comunicação estão reservando grande espaço para este evento.

Francisco chega depois da recente viagem à Bulgária e Macedônia, países com maioria ortodoxa…

Padre Danca: Há interesse e respeito por parte Igreja ortodoxa para esta visita do Santo Padre dedicada aos romano-católicos e greco-católicos da Romênia. Alguns de seus representantes já se manifestaram para participar dos eventos. A Igreja católica tem um patrimônio de amizade que certamente não ficará comprometido por alguma voz fundamentalista.

(entrevista concedida à Agência Sir)

13 maio 2019, 13:34