Cerca

Vatican News
Procissão em San Pedro de Macha Procissão em San Pedro de Macha 

Bispos bolivianos pedem processo eleitoral que respeite a verdade

O episcopado boliviano concluiu sua Assembleia Plenária nos dias passados, divulgando nesta semana um documento sobre os temas tratados, como proteção dos menores, combate à corrupção, ao tráfico e à pobreza, as eleições no final do ano, situações que convidam a "lançar as redes".

Ecologia integral, defesa dos mais fracos (especialmente em referência à abusos sexuais), participação democrática no processo eleitoral, papel dos jovens na Igreja. Estas foram as principais temáticas abordadas pelos bispos bolivianos no final de sua Assembleia Plenária, realizada nestes dias em Cochabamba. No final do trabalho, os bispos divulgaram uma Mensagem, intitulada "Cristo vive e quer você vivo!", em clara referência à Exortação Apostólica pós-sinodal do Papa Francisco "Christus vivit".

Combater a corrupção, o tráfico de drogas e a pobreza

 

No documento, assinado por todos os bispos e apresentado na terça-feira, 7, entre outros pelo presidente da Conferência Episcopal Boliviana (Ceb), Dom Ricardo Centellas, bispo de Potosí, é recordado o convite de Jesus para "lançar as redes" diante das tantas situações de trevas, como a corrupção, o narcotráfico, a violência, a crise econômica e a pobreza.

Sobre a proteção do meio ambiente, os bispos recordam que o Papa Francisco "nos chama a uma conversão ecológica e à justiça ambiental, estimulando-nos a superar a incoerência entre o que é dito e o que está sendo feito". Em relação à prevenção dos abusos contra menores e pessoas vulneráveis, a CEB reitera seu compromisso em proteger e prestar assistência às vítimas, comunicando a criação da Comissão para a proteção de menores.

Rumo às eleições: esperança de participação democrática

 

Palavras importantes na mensagem são dedicadas à participação democrática em vista das eleições no final de ano: “É necessário que os cidadãos conheçam os projetos políticos propostos pelos candidatos, com a esperança de que os programas sejam conhecidos e divulgados. Reafirmando a nossa vocação democrática, convidamos a uma campanha eleitoral que respeite a verdade, vivida na concórdia entre os diferentes candidatos e disputada em igualdade de condições".

09 maio 2019, 14:57