Cerca

Vatican News
A nova Beata mexicana, Conchita A nova Beata mexicana, Conchita 

Beatificada no México Maria Conceição Cabrera Arias - Conchita

Foi uma mulher que viveu a santidade no dia-a-dia. Conchita teve uma missão especial: ser mãe de sacerdotes, de onde nasceu sua espiritualidade "totalmente sacerdotal". Todas as obras que fundou tinham o objetivo de ajudar e rezar pelos sacerdotes. A vida de Maria Conceição Cabrera é um exemplo do valioso apoio feminino à vida e santidade da Igreja

Manoel Tavares - Cidade do Vaticano

O Cardeal Giovanni Angelo Becciu, prefeito da Congregação das Causas dos Santos, presidiu, na manhã deste sábado (04/05), na Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, em Cidade do México, à Beatificação de Maria Conceição Cabrera Arias de Armida, viúva, leiga e mãe de família, também conhecida como Conchita.

Ouça e compartilhe!

Maria Conceição nasceu em São Luís Potosí, México, em 8 de dezembro de 1862. Esposa de Francisco Armida, teve nove filhos: uma filha tornou-se religiosa e um filho Jesuíta. Dois faleceram ainda pequenos e os outros escolheram a vida matrimonial. A grande família viveu em Cidade do México, onde Concita se destacou como modelo de esposa, de mãe e de leiga.

No dia 17 de setembro de 1901 seu esposo, Francisco Armida, faleceu. Como viúva, Concita se dedicou à criação e formação dos seus filhos, mas nunca entrou para a vida religiosa.

Missão especial

Certo dia, ao participar dos Exercícios Espirituais, em sua cidade, em 1889, recebeu uma forte inspiração, que deixou uma marca indelével em toda a sua vida: “A missão de salvar almas”.

Maria Conceição fundou diversos Institutos: as "Obras da Cruz ou o Apostolado da Cruz" (1894), "Os Religiosos da Cruz do Sagrado Coração de Jesus" (1897), "O Pacto de Amor com o Coração de Jesus" (1909) e "A Fraternidade Sacerdotal" (1912). Em 1914, cooperou com o Venerável Padre Félix de Jesus Rouger para a fundação dos “Missionários do Espírito Santo”.

"Extraordinária no extraordinário": assim é recordada Maria Conceição Cabrera Arias de Armida, também conhecida como "Conchita". Era uma mulher que viveu a santidade no dia-a-dia.

Conchita teve uma missão especial: ser mãe de sacerdotes, de onde nasceu sua espiritualidade "totalmente sacerdotal". Todas as obras que fundou tinham o objetivo de ajudar e rezar pelos sacerdotes. A vida de Maria Conceição Cabrera é um exemplo do valioso apoio feminino à vida e santidade da Igreja.

Maria Conceição Cabrera Arias de Armida, dona Concita, faleceu em Cidade do México em 3 de março de 1937, com a idade de 75 anos.

04 maio 2019, 20:09