Cerca

Vatican News
Papa Francisco abençoa os óleos na Missa do Crisma celebrada na Basílica de São Pedro (foto de arquivo) Papa Francisco abençoa os óleos na Missa do Crisma celebrada na Basílica de São Pedro (foto de arquivo) 

Quinta-feira Santa: Missa Crismal, dos Santos Óleos e da Unidade

Na "Missa do Crisma" ou "Missa Crismal" se abençoam o óleo dos catecúmenos e dos enfermos e se consagra o Santo Crisma, daí ser também chamada "Missa dos Santos Óleos". Renovam-se nela as promessas sacerdotais pronunciadas no dia da ordenação, sendo assim também chamada “Missa da Unidade”

Cidade do Vaticano

A Quinta-feira Santa nos insere no âmago do Mistério pascal de Cristo. Neste Dia santo, pela manhã, o bispo e os sacerdotes concelebram a “Missa do Crisma” nas Igrejas catedrais. Constituídos, na última Ceia, “servos do Mistério”: realizam eles a unidade do seu sacerdócio no único grande Sacerdote, Jesus Cristo.

Unidade dos presbíteros com o bispo

Renovação das promessas sacerdotais

De fato, renovam-se nela as promessas sacerdotais pronunciadas no dia da ordenação, sendo assim também chamada “Missa da Unidade”. Nesta missa manifestam-se o mistério do sacerdócio de Cristo, participado pelos ministros constituídos em cada local, que renovam seu compromisso ao serviço do povo de Deus.

Crisma, catecúmenos e enfermos

O bispo, cercado pelos outros sacerdotes, abençoa os óleos, que serão usados nos diversos sacramentos: o crisma (óleo misturado com perfumes), para significar o dom do Espírito no batismo, na crisma, na ordem; o óleo para os catecúmenos e o óleo para os enfermos, sinal da força que liberta do mal e sustenta na provação da doença.

O óleo e a unção

Através de uma realidade terrena já transformada pelo trabalho do homem (o óleo) e de um gesto simples e familiar (a unção), exprime-se a riqueza da nova existência em Cristo, que o Espírito continua a transmitir à Igreja até o fim dos tempos.

Conclusão da Quaresma

A Quaresma – período litúrgico de 40 dias –, tempo forte de oração, jejum e penitência em que nos preparamos para a celebração da Paixão, Morte e Ressurreição de nosso Salvador, conclui-se justamente na Quinta-feira Santa pela manhã com a Missa do Crisma – prelúdio do Tríduo Pascal –, como nos explica Pe. Fábio Balbino, do clero da Arquidiocese do Rio de Janeiro, que inicia falando-nos mais detalhadamente sobre a missa desta manhã. Vamos ouvir (ouça na íntegra clicando acima).

18 abril 2019, 08:00